Detox, conheça os tipos e porque devemos fazê-lo

detox
detox

Detox podem ser feitos de várias formas, via alimentos, sucos, chás, vitaminas e minerais, suplementos e até mesmo por terapias frequenciais como homeopatia e medicamentos quânticos.

Fatores agressores

Nunca na história da humanidade, estivemos expostos a tantos fatores agressores como estamos atualmente.

A poluição ocorre em vários níveis, desde os mais visíveis, como os produtos químicos conservantes, agrotóxicos, metais tóxicos, medicamentos, etc, micro-organismos vírus, bactérias, fungos e parasitas em geral até os invisíveis, como as radiações eletromagnéticas e ionizantes.

O nosso corpo não está programado para lidar com este excesso de fatores agressores tóxicos a que estamos expostos atualmente. Nossa genética nos permite lidar melhor com vírus, bactérias e fungos, pois sempre estivemos expostos a eles.

Porém desde a última guerra mundial, em 1945, foram criados 80000 novos produtos químicos aos quais estamos expostos, e nosso corpo simplesmente não sabe como lidar com a maior parte deles.

Endotoxinas e Exotoxinas

Estas toxinas podem endotoxinas (que são produzidas pelo nosso próprio metabolismo) também chamadas de homotoxinas.

Temos também as exotoxinas, que penetram em nosso corpo pela alimentação (conservantes, aditivos, corantes), pela água, pela respiração (ar) e pela pele.

Estas toxinas são agrotóxicos, pesticidas, medicamentos, álcool, metais tóxicos, xenoestrógenos como bisfenol A (BPA), ftalatos entre outros.

Os xenobióticos interferirem em nossos receptores hormonais, impedindo a ação de vários hormônios. Desequilibram a microbiota intestinal, que podem produzir alterações na pele, como urticaria, eczema, dermatite, depressão e até obesidade.

As exotoxinas podem entrar em nosso corpo basicamente pela alimentação, pelos intestinos, pela pele e pela respiração

Disbiose intestinal

A mucosa que reveste o intestino, quando saudável, deve ser integra, como uma tela micro porosa, que permite a passagem apenas de micropartículas e bloqueia as macromoléculas. Mas esta mucosa é diariamente agredida por metais tóxicos, agrotóxicos, pesticidas, conservantes, medicamentos químicos, alimentos inadequados ao nosso biotipo.

Esta agressão produz rasgos nesta mucosa, que por sua vez fica muito permeável e perde sua capacidade de seletiva de filtrar. Como esta mucosa tem contato direto com a microcirculação, começamos a absorver substancias nocivas ao nosso corpo.

Não bastasse isto, as bactérias, vírus, fungos e outros micro-organismos que formam nossa flora intestinal, também são afetadas por estes mesmos fatores agressores, e entram em desarmonia, deixando de ser benéficas e passando a patogênicas, a isso chamamos de disbiose intestinal.

Sabemos que o intestino produz cerca de 90% da nossa serotonina. A serotonina é um neurotransmissor que está associado a nosso sentimento de felicidade, prazer e bem-estar. Ela encontra-se muito diminuída nas depressões. Do meu ponto de vista, uma das principais causas desta “epidemia” de depressão que estamos assistindo nos últimos anos, está associada a estas alterações na microbiota intestinal, e não somente aos fatores emocionais.

Como funciona o processo de Destoxificação?

Detox é a forma abreviada das palavras detoxification ou detoxificação em português.

Detoxificação ou destoxificação nada mais é do que a eliminação de substâncias toxicas do nosso organismo.

Nosso corpo já faz isso de uma forma automática através do fígado, intestinos, rins, sistema linfático, pele e pelos pulmões.

O fígado é o grande filtro e metabolizador, todas as toxinas precisam passar por ele para serem eliminadas.

Os intestinos também fazem algum tipo de metabolização, mas seu grande papel, juntamente com o sistema linfático, os rins, os pulmões e a pele é a eliminação de toxinas.

Tipos de toxinas

Estas toxinas podem ser agrotóxicos, pesticidas, medicamentos, álcool, metais tóxicos, xeno estrógenos como bisfenol A (BPA), ftalatos entre outros.

Os xenobióticos podem interferir em nosso metabolismo causando inúmeras doenças como alterações dos hormônios sexuais e da tireoide, desequilíbrio da flora intestinal, alterações da pele como urticaria, eczema e dermatite, depressão e obesidade são alguns exemplos.

Como as toxinas são lipossolúveis, se acumulam principalmente no tecido gorduroso e no cérebro.

Fases do Detox

O processo de detoxificação é dividido em 2 fases que ocorrem principalmente no fígado.

Na fase 1 as toxinas são preparadas paradas para serem eliminadas por meio de reações de hidrólise e óxido-redução. A fase 1 produz muitos radicais livres, daí a importância de termos nosso sistema de antioxidantes funcionando bem para evitar lesões em nossos tecidos.

Na fase 2 estas toxinas são serão ligadas a alguns radicais químicos para sua eliminação, em processos de conjugação, sulfatação, metilação entre outros. Após está transformação as toxinas seguem para eliminação pelos rins, intestinos, vesícula biliar, pele ou pulmão.

Os processos bioquímicos são bem mais complexos do que isso, mas de uma forma resumida é isso que ocorre quando fazemos um Detox, seja ele feito por chás, sucos verdes ou outros métodos que podem ser prescritos por médicos e nutricionistas.

Tipos de Detox

Na prática clínica podemos usar vários fitoterápicos, vitaminas e minerais que podem agir estimulando tanto a fase 1 como a fase 2 de detoxificação.

Existem também vários medicamentos frequenciais ou vibracionais que podem aprofundar este processo de limpeza do organismo. Estes medicamentos têm origem nas medicinas vibracionais e sua atuação vai além das células, suas membranas e organelas intracelulares. Estes medicamentos agem na matriz extracelular, que é a estrutura que sustenta todas as células do nosso corpo.

Bem, e como fazemos para resolver o problema? Não existe uma terapêutica única, que possa resolver todo o processo.

Como eu trato

Penso que a primeira providencia a tomar, é eliminar o máximo possível destes fatores que estão agredindo a mucosa intestinal. Em minha clínica uso medicamentos fitoterápicos (plantas), que funcionam de forma eficaz e ecológica, sem lesar o organismo e homeopatia para eliminar metais tóxicos.

Depois temos que oferecer ao organismo, pré e pró bióticos, para que a flora intestinal volte ao seu estado de equilíbrio. Neste meio tempo temos que identificar os alimentos que nos fazem mal e os que são bons.

Aqui podem ser usados exames laboratoriais para identificar intolerâncias, hipersensibilidades ou alergias alimentares.

Em alguns casos se faz necessária a reposição de vitaminas e sais minerais, que após esta limpeza do organismo, podem ser usados em pequenas quantidades, pois vão ser melhor absorvidos pela mucosa intestinal.

Não espere que surja uma doença para ir ao médico, aja preventivamente

Penso que 80% das doenças crônicas degenerativas como (artrite, artrose, aterosclerose, cansaço crônico, envelhecimento precoce, insônia, depressão, falta de concentração, alergias, constipação, obesidade, lesões de pele, falta de energia, imunidade diminuída, processos inflamatórios, etc) têm início ou são mantidas por esta “intoxicação crônica” a que somos submetidos diariamente.

 

Dr. Fabio Pisani

 

** Consultas nas áreas de Ortomolecular e Acupuntura são apenas particulares**

 

Site: www.fabiopisani.med.br

 

Medicina Ortomolecular I Acupuntura Médica I Fitoterapia Chinesa

Título pela AMHB de especialização em Homeopatia em 1990

Título pelo CBA de especialização em Acupuntura em 1993 

CRM 43711

R Dr. Vieira Bueno, 142, Cambuí

Campinas, SP, CEP 13024-040

Fones: (19) 3254-4012 e 3254-0747

E-mail: drfabiopisani@gmail.com

 

Medicina Ortomolecular I Acupuntura Médica I Fitoterapia Chinesa Título pela AMHB de especialização em Homeopatia em 1990 Título pelo CBA de especialização em Acupuntura em 1993 CRM 43711

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Deixe uma resposta

wpDiscuz