A Acupuntura existe a cerca de 4000 anos e é praticada nos países orientas a séculos. Começou a ser mais conhecida no ocidente a menos de 50 anos. No Brasil foi reconhecida como especialidade médica em 1995.

A Medicina Tradicional Chinesa, bem como todas as medicinas milenares, parte do pressuposto que nosso corpo é sustentado por um tipo de energia que é gerada a partir da nossa respiração e da alimentação. Esta energia recebe vários nomes dependendo da região do planeta: Chi, Ki, Prana, Lung ou Energia Vital por exemplo.
Esta energia circula por uma rede de canais invisíveis chamados meridianos.

Segundo a Medicina Tradicional Chinesa nós podemos adoecer quando esta energia está diminuída, aumentada ou bloqueada, e o papel da Acupuntura é regular o fluxo desta energia.

Os meridianos possuem locais específicos onde esta energia pode ser regulada, são os chamados acupontos ou pontos de Acupuntura, que são os locais onde as agulhas são inseridas para tratar os desequilíbrios.

As agulhas são muito finas, de espessura semelhante a de um fio de cabelo. De uma forma geral a inserção das agulhas, quando feita de forma adequada, não costuma produzir nenhuma dor significativa.

Fazem parte da Medicina Tradicional Chinesa além da Acupuntura, a dietoterapia, a fitoterapia (ervas), as massagens (Tui Na) e os exercícios (Tai Chi Chuan, Qi Gong, Lian Gong).

Para se fazer o diagnóstico na MTC, além das queixas de cada pessoa, são analisados também o pulso e a língua, recursos diagnósticos excelentes deixados de lado pela medicina ocidental.

A Acupuntura pode ser utilizada tanto para reequilíbrio da saúde quanto para promoção da saúde.

O número de sessões depende do objetivo do tratamento. Se buscamos o equilíbrio geral e a prevenção de doenças, o tratamento por longos períodos é o indicado. No caso de dores agudas e de curta duração, de uma forma são necessárias poucas sessões com curtos intervalos entre elas. Para processos mais crônicos rotineiramente se recomenda entre 12 e 15 sessões feitas com frequência semanal. Estes dados servem apenas como uma referência, pois cada paciente tem suas necessidades.

Conheça abaixo alguns desequilíbrios que podem ser tratados com a Acupuntura.
Enxaqueca: A enxaqueca é de difícil tratamento na medicina convencional. No entendimento da Acupuntura, ela ocorre basicamente por bloqueios da circulação da energia nos meridianos do fígado e/ou da vesícula biliar. A Acupuntura pode ajudar desbloqueando estes meridianos, aliviando a dor, espaçando as crises e em alguns casos inibindo as crises de forma duradoura.

TPM: Na Acupuntura os sintomas de TPM, são basicamente devidos ao bloqueio da energia no meridiano do fígado. A Acupuntura pode ajudar removendo este bloqueio e equilibrando os aspectos emocionais.

Lombalgia: Pode ter várias causas, mas as principais são a deficiência da energia no meridiano do rim e bloqueio da energia no meridiano da bexiga. A Acupuntura pode ser útil tanto tonificando a energia do rim quanto desbloqueando o meridiano da bexiga.

Stress: O stress está associado principalmente à deficiência de energia do rim, bem como um bloqueio da energia do fígado. A Acupuntura pode agir tanto fortalecendo a energia do rim como desbloqueando a energia do fígado.

Insônia: Na Acupuntura, a insônia pode estar basicamente associada à preocupação, ansiedade ou stress. O tratamento visa reequilibrar os meridianos do fígado, rim, coração e pâncreas, que são os afetados por estas emoções.

Menopausa: Os sintomas da menopausa estão ligados a desarmonias dos meridianos do fígado e do rim. A Acupuntura pode ajudar reduzindo os calores, a irritabilidade, a depressão, a diminuição da libido, a insônia, entre outros sintomas.

Depressão: A depressão segundo a Acupuntura esta principalmente associada ao bloqueio do meridiano fígado principalmente, mas outros meridianos como o do pulmão, rim, coração também podem estar afetados. O desbloqueio destes meridianos produzirá alivio da depressão, em casos mais leves sem o uso de medicações.

Ansiedade: A ansiedade na visão da Acupuntura, está ligada ao meridiano do coração. O tratamento costuma reduzir significativamente os sintomas de ansiedade.

Rinite: A rinite na Medicina Tradicional Chinesa ocorre pela penetração de frio externo e por deficiência do meridiano do pulmão. Outro sistema frequentemente afetado é o fígado, que tem dificuldade para eliminar toxinas. A Acupuntura, bem como a fitoterapia costumam produzir bons resultados.

Obesidade: O tratamento da obesidade deve ser sempre multifatorial. Ajuda a controlar a ansiedade e a compulsão alimentar, e também ajudar a regularizar retenção de líquidos e a função intestinal. A Acupuntura, quando associada à fitoterapia, à mudança de habito alimentar e à atividade física costuma apresentar bons resultados.

Uma consulta pode ser agendada pelos fones (19) 3254-0747 ou 3254-4012.