Embora a Medina Ortomolecular (MO) ainda não seja reconhecida como especialidade médica no Brasil, existe por parte do Conselho Federal de Medicina a Resolução CFM Nº 1.938/2010 que regulamenta a Prática Ortomolecular pelos médicos. Isso posto, vamos conhecer um pouco sobre está terapêutica.

A MO tem fundamentos nas disciplinas mais básicas das ciências médicas como veremos a seguir:

Bioquímica: que estuda as substâncias presentes no organismo humano e as reações químicas que ocorrem entre elas.

Fisiologia: que estuda o funcionamento dos órgãos e sistemas humanos e a relação entre eles.

Fisiopatologia: que estuda a causa das doenças.

Nutrição Celular: que estuda as substâncias necessárias ao funcionamento normal do organismo humano.

Estas quatro disciplinas formam a base de toda a ciência médica e são ensinadas nos primeiros anos de todos os cursos de medicina.

Os objetivos básicos da Medina Ortomolecular são desintoxicar, nutrir e otimizar o funcionamento do organismo, curando e prevenindo doenças e proporcionando um envelhecimento saudável e uma melhor qualidade de vida. De uma forma geral as pessoas não sabem que podem ser tratadas para otimizar sua saúde, curando e/ou evitando o surgimento de quase todas as doenças. Infelizmente em nossa cultura só procuramos o médico quando ficamos doentes. Mas o acesso à informação está mudando este comportamento.

Com os avanços das ciências médicas, hoje já conseguimos identificar muitos fatores que causam envelhecimento precoce e doenças. Entre eles estão: alimentação inadequada, sedentarismo, stress, produção excessiva de radicais livres, danos ao DNA, inflamação crônica assintomática, glicação, redução do metabolismo, imunidade diminuída, radiações eletromagnéticas, destoxificação deficiente, produção e/ou função inadequada de neurotransmissores e hormônios, entre outros.

Sabemos que apenas uma alimentação equilibrada já não repõe mais todos os nutrientes necessários para nossa saúde. Solos esgotados e a industrialização dos alimentos empobreceram muito a nossa alimentação. Diferentemente da medicina convencional, a MO, não utiliza medicamentos prontos, as formulações são feitas de forma individualizada.

Outro foco importante de atuação da Medicina Ortomolecular é no combate ao Radicais Livres (RL). Nosso corpo possui micro geradores de energia chamados mitocôndrias, que são estruturas intracelulares. Elas transformam a glicose (ácidos graxos) e oxigênio em energia. Esta geração de energia depende do oxigênio, e um dos seus subprodutos são os radicais livres (RL). Os RL são apontados hoje como um dos maiores responsáveis pelo envelhecimento, pois lesam as membranas celulares e o material genético (DNA).  A Medicina Ortomolecular pode ajudar a minimizar a ação dos RL. O uso de algumas vitaminas, minerais, aminoácidos e fitonutrientes que possuem ação antioxidante podem ajudar a reduzir os estragos produzidos pelos RL.

Abaixo cito algumas das condições clínicas mais comuns que podem ser tratadas pela MEDICINA ORTOMOLECULAR:

Envelhecimento saudável: Com o avanço no entendimento dos mecanismos que produzem o envelhecimento, sabemos hoje que podemos intervir neste processo de forma a reduzir o ritmo do envelhecimento e consequentemente melhorar nossa qualidade de vida. Na MO existem tratamentos, que dentro de certos limites, podem proporcionar um envelhecimento saudável. É importante deixar bem claro que ainda não existe nenhuma terapia que produza rejuvenescimento, mas a MO pode sim, reduzir o ritmo de envelhecimento e melhorar muito a qualidade de vida.

Memória diminuída: A memória de curto prazo está associada ao stress, mais precisamente com altos níveis de Cortisol, que interferem com a transmissão entre os neurônios. Já a memória para eventos antigos está associada à neuroinflamação e à neurodegeneração que ocorrem durante o nosso envelhecimento. A Medicina Ortomolecular pode ser muito útil nestes casos. Vários nutrientes podem reduzir ou mesmo interromper estes processos em alguns casos.

Hipotireoidismo e metabolismo lento: Taxa de metabolismo basal é o quanto de calorias o nosso corpo gasta em repouso. Cerca de 70 a 75% das nossas calorias são gastas pelo nosso tecido muscular, que utiliza energia mesmo quando estamos em repouso. Outra parte do nosso metabolismo é controlado pela tireoide. Muitas vezes o funcionamento mais lento da tireoide não é detectado pelos exames, e acaba ficando sem tratamento. Hoje sabemos que existe um tipo de hipotireoidismo que ocorre mesmo quando os exames estão dentro da faixa de normalidade estatística, alguns pesquisadores o chamam de hipotireoidismo tipo II. Os principais sintomas de hipotireoidismo são: ganho de peso e dificuldade para emagrecer, constipação, sensação aumentada de frio, irregularidades menstruais, pele e cabelos secos, unhas fracas, cansaço constante, entre outros. Dentro da Medicina Ortomolecular dispomos de várias formas de tratamento que passam pela reposição de minerais, aminoácidos, vitaminas e fitonutrientes que podem estimular a função tireoidiana.

Obesidade: Hoje sabemos que as dietas hipocalóricas tendem ao fracasso no longo prazo, pois quanto mais se reduz a quantidade de calorias, mais o corpo reduz o metabolismo, isto é, comer menos faz o corpo gastar menos calorias. Pior ainda são os longos períodos de jejum, que forçam o corpo a converter músculos (proteína) em energia, onde perdemos o tecido que mais queima calorias. E quando se recupera o peso novamente, o que é muito comum, este tecido muscular é substituído por gordura, gerando o efeito sanfona. Se você ainda pensa que para emagrecer basta “fechar a boca”, saiba que está muito longe da verdade cientifica atual. Para aumentar o metabolismo, e emagrecer com saúde, além da atividade física, existem certos alimentos e medicamentos que podem ajudar. Para emagrecer o caminho é comer corretamente, não simplesmente reduzir as calorias. Mas quem quer emagrecer deve entender que não pode ser emagrecida pelo médico, é essencial compreender que o excesso de peso decorre de uma série de desequilíbrios internos e que não existe e nem existirá um remédio ou tratamento único que equilibre todos os fatores envolvidos no ganho de peso! O emagrecimento ocorre como resultado do equilíbrio geral do organismo, e não um objetivo a ser alcançado a qualquer preço. Se você não concorda com estas afirmações este tratamento não é para você. Dentro da Medicina Ortomolecular a estratégia de tratamento inicia-se pela modulação dos neurotransmissores (Serotonina, GABA, Dopamina) para reduzir a ansiedade e as compulsões e de hormônios como o Cortisol e a Insulina. Depois Utilizamos substancias que aumentam a saciedade e estimulam a queima de tecido gorduroso. Tudo isso sempre aliado a uma adequação alimentar e atividade física.

Depressão: A depressão é uma condição clinica muito presente nos consultórios médicos. Ela pode ocorrer por vários motivos que vão desde alterações na flora intestinal passando por processos inflamatórios, além das causas psicológicas. Mas sempre terminando em desequilíbrio dos neurotransmissores principalmente da Serotonina. A MO pode ajudar fornecendo os nutrientes necessários tanto para a produção dos neurotransmissores quanto para minimizar a neuroinflamação.

Stress: Quando somos submetidos ao stress constante, os altos níveis de Cortisol e Adrenalina produzem um desgaste acentuado do nosso corpo, o consumo de nutrientes é muito maior e não conseguimos repor apenas pela alimentação. A Terapia Ortomolecular, através da reposição de vitaminas, minerais e fitonutrientes, pode ajudar a minimizar e reverter os efeitos do stress.

Cansaço crônico: Além da falta de descanso suficiente, a alimentação pobre em nutrientes, pode causar o quadro de fadiga crônica, que pode ser melhorado pela reposição de vitaminas, minerais e outros nutrientes.

Fadiga Adrenal: Pessoas submetidas a um stress intenso por longos períodos podem desenvolver este quadro. Clinicamente estas pessoas apresentam apatia, cansaço e desanimo profundos que podem ser confundidos com depressão. Mas o que ocorre de fato é uma forte baixa na produção de Cortisol pelas glândulas Adrenais. Casos assim respondem muito bem à Medicina Ortomolecular que pode lançar mão de adaptógenos, que são substancias que equilibram as Adrenais. Não resolve apenas tirar férias e descansar.

Imunidade diminuída: O nosso sistema imune depende de muitos nutrientes, como Zinco, Cobre e Selênio, que pela exaustão do nosso solo, estão presentes em quantidades cada vez menores nos alimentos. A MO pode ajudar repondo estes nutrientes, diminuindo o uso de antibióticos, que são importantes no quadro agudo, mas que não aumentam a imunidade, pelo contrário a fazem diminuir.

Inflamação crônica assintomática: A inflamação em si é um mecanismo de reparo extremamente útil para a recuperação das agressões que sofremos, mas para isso ela deve ser de curta duração. Pesquisas apontam que quase todas as doenças crônicas e degenerativas têm como base um tipo de inflamação crônica sem sintomas que ocorre difusamente em nosso corpo. Como exemplo de doenças associadas à inflamação de baixo grau podemos citar: doenças cardiovasculares, depressão, artrites, Parkinson, Alzheimer entre muitas outras. A Medicina Ortomolecular busca através do uso de antioxidantes, fitoquímicos, anti-inflamatórios naturais reduzir ou mesmo eliminar a inflamação crônica silenciosa.

Destoxificação: Com exposição diária a centenas de produtos químicos nosso corpo vai ao longo dos anos perdendo a capacidade de se auto desintoxicar. Pela exposição excessiva a produtos industrializados, produtos de limpeza, agrotóxicos, metais pesados, medicamentos químicos, ar e água poluídos, o nosso corpo já não consegue mais eliminar todas as toxinas, e elas estão na origem de muitas doenças. Sabemos hoje que a presença do alumínio em nosso corpo, está envolvida com a gênese de doenças como Alzheimer e Parkinson. A Terapia Ortomolecular pode auxiliar na destoxificação dos nossos sistemas orgânicos.

Menopausa e libido: Mudanças hormonais importantes ocorrem no climatério/menopausa, entre elas alterações de humor, insônia, irritabilidade, cansaço, osteoporose, secura vaginal, diminuição da libido entre outros. Na Medicina Ortomolecular temos várias formas de tratar que vão da fitoterapia até a TRHB (terapia de reposição hormonal bioidêntica).

Disfunção erétil e impotência: Nos homens a andropausa é o equivalente da menopausa. Nesta fase podem ocorrer sintomas como depressão, irritabilidade, cansaço fácil, perda de massa muscular, impotência, ejaculação precoce entre outros. Nestes casos a MO também pode ajudar muito, através da suplementação com vitaminas, minerais, fitoterápicos e também TRHB (terapia de reposição hormonal bioidêntica).

Disbiose intestinal: A ingestão constante de alimentos nocivos ao nosso organismo provoca um processo inflamatório ao nível da mucosa intestinal, seguido de uma alteração da permeabilidade da parede intestinal, que por sua vez altera a absorção dos nutrientes. Soma-se a isto a presença em larga escala de agrotóxicos, conservantes, corantes nos alimentos, metais pesados e parasitas intestinais, alterando a flora intestinal. Muitas alergias iniciam-se quando nossa permeabilidade intestinal está alterada. Na Terapia Ortomolecular podemos usar probióticos e prebióticos para recuperar e equilibrar a nossa microbiota intestinal.

Para fazermos o diagnóstico na MEDICINA ORTOMOLECULAR além dos exames laboratoriais rotineiros, também utilizamos um bem especifico, o mineralograma. Este exame nos mostra os minerais que estão em falta ou excesso no organismo, bem como possíveis intoxicações por alguns metais tóxicos como Chumbo, Alumínio, Mercúrio, Cadmio, Arsênio entre outros, que devem ser eliminados do nosso corpo. O mineralograma pode ser obtido de várias formas: através do sangue, dos fios de cabelo ou por biorressonancia.

O tratamento, dependendo de cada caso, pode ser feito pela reposição de Vitaminas, Sais Minerais, Aminoácidos, Fitonutrientes, Nutracêuticos entre outros recursos terapêuticos.

IMPORTANTE: As consultas de Ortomolecular são feitas apenas de forma particular, os exames, quando necessários poderão ser feitos via planos de saúde.

Para informações sobre valores ou agendar uma consulta, ligar para os fones (19) 3254-0747 ou 3254-4012.