Hormônios Bioidênticos, uma outra forma de fazer reposição hormonal

A modulação com hormônios bioidênticos busca repor da forma mais natural e fisiológica possível, o declínio dos vários hormônios que produzimos, que ocorre ao longo do nosso processo de envelhecimento, mantendo assim a nossa saúde e bem-estar.

A produção de hormônios pelo organismo humano começa a decrescer após determinada idade, são as pausas: menopausa (ovários), andropausa (testículos), tireopausa (tireoide), adrenopausa (adrenais), enfim, todas as nossas glândulas envelhecem.

Nossos hormônios começam a diminuir progressivamente de 1 a 3 % por ano, em média, a partir dos 25 e 30 anos de idade. Esta queda contribui para os sintomas do envelhecimento como cansaço, diminuição da memória, aumento de peso, diminuição da libido, aumento de flacidez e rugas, mudanças de humor, também para o aumento dos riscos de doenças do envelhecimento como câncer, Alzheimer, doenças cardiovasculares, entre outras.

Nas mulheres, a menopausa, além de determinar o fim dos ciclos reprodutivos, também produz uma série de sintomas desagradáveis. Esta fase é o climatério, período que antecede a menopausa, propriamente dita.

Nos homens, o declínio dos níveis de testosterona pode causar: diminuição da massa e força muscular, diminuição da libido, aumento de gordura abdominal (associada à resistência à insulina), osteopenia, lentidão de raciocínio, esquecimentos, depressão e/ou irritabilidade, insônia, diminuição da sensação de bem-estar geral.

Que são os Hormônios 

Hormônios são substâncias químicas que transferem informações entre as células do nosso organismo. Os hormônios regulam o envelhecimento no adulto, e o desenvolvimento na criança, controlam as funções de muitos tecidos, auxiliam as funções reprodutivas, e regulam o nosso metabolismo.

Os hormônios circulam pelo sangue até atingirem seus tecidos-alvo, onde eles ativam uma série de alterações químicas. Para executar sua função, um hormônio precisa ser reconhecido pelo seu receptor, como num sistema de chave-fechadura. Quando um hormônio se liga ao seu receptor, as moléculas de ambos passam por alterações estruturais que ativam mecanismos no interior da célula, que produzem os efeitos especiais induzidos pelos hormônios.

Quando os hormônios usados não exatamente iguais ao que nosso corpo produz, esta ligação fica prejudicada, podendo até mesmo nem acontecer.

A atividade de um hormônio depende em parte da sua estrutura química, que possibilita sua ligação a um receptor.

Quando são utilizados hormônios não bioidênticos, esta ligação fica prejudicada, podendo até mesmo nem ocorrer. Neste caso, estas substâncias podem não apresentar o efeito desejado, e até mesmo provocar efeitos adversos.

Por outro lado, ao utilizarmos hormônios bioidênticos, a ligação com o receptor ocorre de forma adequada, e consequentemente também a ação hormonal.  Desta forma, o organismo pode retornar aos níveis hormonais otimizados.

Que são hormônios bioidênticos

Os hormônios bioidênticos são hormônios que têm exatamente a mesma estrutura química e molecular encontrada nos hormônios produzidos pelo nosso corpo, por este motivo têm ação mais fisiológica e natural dentro do nosso organismo.

É importante frisar que, mesmo os hormônios bioidênticos devem ser utilizados respeitando dosagens fisiológicas em pacientes com deficiências. Não é recomendado seu uso em altas doses com qualquer finalidade estética.

Qual é a diferença entre Modulação Hormonal e Reposição Hormonal?

É muito importante saber, que reposição hormonal é diferente de modulação hormonal.

A reposição hormonal convencional visa substituir os hormônios que estão em níveis muitos baixos, e traze-lo a um nível comparado com os indivíduos da mesma idade, necessita-se então doses mais elevadas de hormônios para restabelecer a deficiência grave já instalada.

Já na modulação hormonal, o objetivo é prevenir que os hormônios declinem ainda mais a ponto de produzirem sintomas indesejáveis. Ou seja, a modulação hormonal, procura reestabelecer o equilíbrio hormonal com pequenas doses hormonais, de maneira fisiológica.

hormônios bioidênticos reposição hormonal
hormônios bioidênticos reposição hormonal

Classificação dos hormônios segundo sua origem

  1. Hormônio Natural: o termo natural diz respeito a uma substância retirada da natureza, que não passa por nenhum processo de transformação industrial e pode ser de origem vegetal, animal ou mineral.
  2. Hormônio Sintético: o termo sintético refere-se a uma substância que passou por um processo industrial de síntese, transformação ou modificação em sua estrutura química. Desse modo, os termos natural e sintético referem-se à origem ou à fonte de uma substância e não estão relacionados a sua estrutura química.
  3. Hormônio Bioidêntico: O termo bioidêntico refere-se a uma substância cuja estrutura molecular é exatamente idêntica à dos equivalentes produzidos pelo nosso próprio organismo, independentemente da fonte da qual se origina (assim pode ser natural ou sintética).

Abaixo alguns exemplos, para melhor entendimento das diferenças entre as categorias:

  1. Estrógenos conjugados (Premarin): Substância extraída da urina de éguas prenhes com ação hormonal. É uma substância natural, mas não, bioidêntica, porque refere-se aos hormônios produzidos pelas éguas e não pelos seres humanos.
  2. Acetato de medroxiprogesterona (Provera): Substância obtida por síntese química na indústria. É, portanto, sintética, mas não é bioidêntica.
  3. Isoflavona de soja: Fito-hormônio extraído da soja, de origem natural e com alguma atividade hormonal. No entanto, não é bioidêntico aos hormônios humanos.
  4. Estradiol, Estrona, Estriol, DHEA, Pregnenolona, Progesterona, Testosterona, T4, T3: São hormônios bioidênticos aos produzidos pelo organismo humano, independentemente da fonte da qual se originam (natural ou sintética).

A Terapia de Modulação Hormonal Bioidêntica (TMHB): Refere-se ao uso apenas de hormônios bioidênticos, ao invés de substâncias estranhas ao organismo humano, como os hormônios análogos.

Abaixo segue uma descrição resumida da ação dos hormônios bioidênticos utilizados na prática clínica:

DHEA (dehidroepiandrosterona)

É nosso hormônio mais abundante no corpo humano, a produção chega ao seu pico por volta dos 20 anos. Quanto mais envelhecemos, mais cai o nível de DHEA. Aos 40 anos, o organismo produz metade de DHEA que produzia antes.

O DHEA aumenta a energia, melhora a função imune, melhora o humor, melhora a função cognitiva (memória).

Estudos sugerem que, quanto menor o nível de DHEA da pessoa, maior o risco de morte por doenças relacionadas com o envelhecimento.

O DHEA, que é produzido pela glândula adrenal serve como matéria-prima para a fabricação de todos os hormônios esteroides, s como o cortisol, estradiol, testosterona entre outros.

Hormônios da Tireoide T4 e T3

Os hormônios tireoidianos agem em quase todas as células do corpo, e controlam a taxa metabólica, os movimentos das alças intestinais (peristaltismo), e até mesmo a respiração celular (geração de energia).

Quando envelhecemos os níveis de hormônios tireoidianos também declinam. Baixos níveis de hormônios tireoidianos estão associados ao aumento da gordura corporal, diminuição da energia, frio em extremidades do corpo como mãos e pés, aumento do colesterol ruim e perda de memória.

Testosterona Bioidêntica (em homens)

A testosterona no homem é um hormônio produzido principalmente pelos testículos, através do estímulo de hormônio LH produzido pela hipófise.

Com o envelhecimento existe uma queda progressiva da produção da testosterona.

A diminuição da testosterona está ligada ao aumento do risco de doenças cardiovasculares, depressão, perda cognitiva, perda de massa muscular, aumento de gordura corporal e diminuição do libido e ereção masculina.

Testosterona Bioidêntica (em mulheres)

A testosterona apesar de ser um conhecido como hormônio masculino é encontrado tanto em homens como em mulheres, ainda que a quantidade de testosterona no corpo das mulheres seja muito menor, cerca de 20 a 30 x menos que nos homens.

A testosterona na mulher tem fundamental importância na libido, metabolismo das gorduras acumuladas (gerar energia), e no ganho de massa muscular.

Homens e mulheres têm exatamente os mesmos hormônios, o varia são suas proporções em cada sexo.

Estrogênios Bioidênticos

A produção desse hormônio começa na adolescência, quando é responsável pelo aparecimento dos sinais sexuais secundários na mulher, e vai até a menopausa, quando existe uma queda abrupta da produção deste hormônio.

Na menopausa a falta de estrogênio causa as ondas de calor, além de favorecer a depressão, perda de memória, perda lubrificação vaginal, perda da libido, diminuição do brilho da pele, osteoporose e uma redistribuição de gordura corporal, para partes caracteristicamente mais masculinas (barriga).

O estrogênio estimula o crescimento de todos os ossos longos na adolescência, e fortalecimento ósseo na idade adulta, por isso sua falta aumenta a incidência de osteoporose, principalmente nas mulheres.

Estudos recentes têm associado a diminuição do estrogênio com o Mal de Alzheimer, considerando que estrogênio produzido naturalmente pelo nosso organismo é neuroprotetor.

O homem apresenta níveis menores, mas relativamente estáveis de estrogênio na vida adulta.

Progesterona Bioidêntica

A progesterona é produzida principalmente nos ovários na mulher, testículos no homem e pelas adrenais nos dois sexos.

A progesterona age não só no corpo físico, mas também na parte emocional das mulheres.

Na parte emocional leva a mulher a um estado metal mais relaxado, sereno e sociável.

Na parte física, aumenta a densidade óssea ajudando a prevenir a osteoporose, além de ser um diurético natural.

É importante na mulher manter o equilíbrio entre o estrogênio e a progesterona na modulação hormonal.

Hormônio de Crescimento (GH) Bioidêntico 

Recentes estudos têm demonstrado que o GH pode reverter alguns aspectos importantes do envelhecimento.

Baixos níveis de GH no adulto estão correlacionados a perda da qualidade de vida como cansaço, baixa autoestima, depressão, aumento da gordura corporal, osteopenia, diminuição da resistência da atividade física e aumento da mortalidade.

É importante que a reposição de GH seja feito quando seus níveis estão baixos, e não para fins meramente estéticos.

Melatonina

A melatonina é um neuro-hormônio produzido no cérebro, pela glândula Pineal. Tem como principal função regular o sono

A partir dos 20 anos de idade, em média, ocorre diminuição de melatonina entre 10 a 15% a cada década de vida, é por isso, que com o avanço da idade aumentam aa chances de problemas como a insônia.

Recentes descobertas em relação a melatonina têm evidenciado, outras funções importantes além da própria regulação do sono, a melatonina desempenha potente ação antioxidante cerebral (protegendo contra tumores cerebrais), e importante função no antienvelhecimento.

Cortisol Bioidêntico ou Hidrocortisona Base

O cortisol é um hormônio corticosteroide produzido pelas glândulas adrenais, e que está envolvido resposta ao estresse.

É um hormônio essencial para a qualidade e vida, sua deficiência causa sintomas como fadiga, depressão, inflamação e hipotensão.

Sua quantidade em níveis adequados no sangue, são responsáveis pelo aumento de energia (libera a glicose no sangue para ser utilizada), manutenção da pressão arterial e diminuição da inflamação.

Outras funções importantes do cortisol estão na área mental, como o aumento da resistência a situações de stress, com a melhora da capacidade de trabalho.

Controle da liberação de adrenalina, pela ação reguladora do sistema nervoso simpático.

É importante saber que o cortisol deve estar em maior quantidade pela manhã e diminuir lentamente sua concentração no decorrer do dia, a inversão deste padrão, ou seja, diminuição do cortisol pelas manhã e aumento no período da noite, também deve ser corrigido.

Pregnenolona Bioidêntica

É o neuro-hormônio mais importante do corpo, pois é uma molécula essencial para formação de vários hormônios, como: estradiol, progesterona, DHEA e testosterona.

Também existe em abundancia nas mitocôndrias de células nervosas e das adrenais. Como a maioria dos hormônios anabólicos (formadores de tecidos) ele começa a declinar após os 30 anos de idade.

Estudos apontam que pregnenolona pode ajudar na melhora da memória pois têm função de neurotransmissor, e estimulador da neurogênese (formação de neurônios novos) comprovado em estudos em animais.

Ao contrário do que os neurocientistas antigos afirmavam, o cérebro é sim, capaz de formar neurônios novos.

Dr. Fabio Pisani

 

** Consultas nas áreas de Ortomolecular e Acupuntura são apenas particulares**

 

Site: www.fabiopisani.med.br

 

Medicina Ortomolecular I Acupuntura Médica I Fitoterapia Chinesa

Título pela AMHB de especialização em Homeopatia em 1990

Título pelo CBA de especialização em Acupuntura em 1993 

CRM 43711

R Dr. Vieira Bueno, 142, Cambuí

Campinas, SP, CEP 13024-040

Fones: (19) 3254-4012 e 3254-0747

E-mail: drfabiopisani@gmail.com

 

 

 

 

Para seguir e curtir, clique abaixo

Medicina Ortomolecular I Acupuntura Médica I Fitoterapia Chinesa
Título pela AMHB de especialização em Homeopatia em 1990
Título pelo CBA de especialização em Acupuntura em 1993
CRM 43711

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Deixe uma resposta

wpDiscuz