Magnésio suplementação, conheça as melhores e piores formas

magnésio suplementação
magnésio suplementação

Frequentemente me perguntam qual é a melhor forma de suplementação do magnésio.
De acordo com a Sociedade Americana de Quiropraxia estima-se que 68 a 80% da população dos Estados Unidos é deficiente em magnésio mineral essencial. O mesmo se passa no Brasil.
O magnésio é mais abundante no solo de países onde existem vulcões, por consequência nosso solo é carente deste mineral.

Estamos todos carentes de magnésio

A carência do magnésio no solo dificulta a sua reposição adequada através apenas da alimentação, pois embora o encontremos em muitos alimentos, a quantidade de determinado alimento necessária para uma suplementação adequada seria muito grande.
A diminuição da quantidade de magnésio em frutas, legumes, grãos e verduras, aliada ao uso crescente de alimentos industrializados agravaram a carência de magnésio em nosso corpo nas últimas décadas.
O fato é que tanto brasileiros quanto americanos possuem baixas quantidades de magnésio em sua alimentação diária e necessitam de alguma suplementação.

O que a falta de magnésio pode causar

O magnésio é um mineral muito importante em inúmeras reações bioquímicas em nossas células.
A carência de magnésio está presente em várias patologias como a osteoporose (juntamente com o cálcio e a vitamina D), na depressão e no stress onde sua falta diminui a formação de serotonina.
Como o magnésio está envolvido com o processo de relaxamento muscular, pode ser usado nas dores musculares crônicas e também ajuda no controle da hipertensão arterial, pois relaxa o tecido muscular das artérias.
Também pode ser útil no diabetes e na redução do tecido gorduroso, pois atua no metabolismo da glicose, reduzindo a resistência à insulina.

Pensando em fazer suplementação?

Atualmente muitas pessoas buscam repor o magnésio, muitas vezes por conta própria.
É importante frisar que NÃO RECOMENDO o uso sem orientação de um profissional médico ou nutricionista, pois eles poderão indicar qual é a melhor forma e dose para cada pessoa.
Como para ser absorvido o magnésio precisa estar ligado a uma outra substancia, que pode ser outro mineral ou um aminoácido por exemplo, abaixo segue alguns compostos com magnésio.

Algumas formas de magnésio 

Formas melhor absorvidas:

Citrato de Magnésio: O citrato de magnésio é o suplemento de magnésio mais popular, provavelmente porque é barato e de fácil absorção. Dado que o ácido cítrico é um laxante suave, as funções de citrato de magnésio como um auxiliar da obstipação/prisão de ventre, assim como uma excelente fonte de magnésio. É uma ótima opção para pessoas com constipação, mas não é adequado para aqueles que evacuam várias vezes ao dia.

Taurato de Magnésio: O taurato magnésio é a melhor escolha de suplemento de magnésio para pessoas com problemas cardiovasculares, uma vez que ele é conhecido por prevenir arritmias e proteger o coração dos danos causados por ataques cardíacos. Taurato magnésio é facilmente absorvido (magnésio e taurina para estabilizar as membranas celulares juntos) e não tem propriedades laxantes.

Malato de Magnésio: O malato de magnésio é uma escolha fantástica para pessoas que sofrem de fadiga, uma vez que o ácido málico, um ácido natural presente na maioria das células do corpo, é um componente vital de enzimas que desempenham um papel fundamental na síntese de ATP e energia produção. Uma vez que as ligações iônicas de magnésio e ácido málico são facilmente quebradas, malato de magnésio também é altamente solúvel.

Glicinato de Magnésio: O glicinato de magnésio (magnésio ligado com a glicina, um aminoácido não essencial) é uma das formas mais bio disponíveis e absorvíveis de magnésio e também o menos provável de induzir diarreia. Ele é a opção mais segura para corrigir uma deficiência de longo prazo.

Cloreto de Magnésio: Embora o cloreto de magnésio contenha apenas cerca de 12 % de magnésio elementar, tem uma taxa de absorção impressionante é a melhor forma de levar a magnésio para desintoxicar as células e os tecidos. Além disso, o cloreto de magnésio auxilia a função renal e pode estimular o metabolismo. O grande inconveniente desta forma de magnésio é o sabor nada agradável.

Carbonato de Magnésio: Carbonato de magnésio é uma outra forma popular, bio disponível de magnésio que na verdade, se transforma em cloreto de magnésio, quando se mistura com o ácido clorídrico no nosso estômago. É uma boa opção para pessoas que sofrem de indigestão e refluxo ácido, pois contém propriedades antiácido.

Formas não tão boas:

Óxido de Magnésio: O óxido de magnésio é a forma mais comum de magnésio vendidos nas farmácias, mas não é quelado e possui uma taxa de absorção deficiente comparado com aquelas listadas acima.

Sulfato de Magnésio: O sulfato de magnésio, também chamado de sal de Epsom, é uma ajuda para a obstipação, para aliviar asma e para relaxar os músculos, mas uma fonte insegura de magnésio na dieta, uma vez que é fácil produzir uma overdose dada a sua rápida absorção. Os Sais de Epsom são mais usados em banhos de emersão para aliviar a tensão e tratar da pele e músculos contraídos e doridos. Na sua forma injetável antigamente foi muito utilizado para crises de enxaqueca e no controle de hipertensão própria da gravidez.

Glutamato e Aspartato de Magnésio: Evite estas duas formas de magnésio completamente. Ácido glutâmico e ácido aspártico são componentes do perigoso adoçante artificial aspartame e ambos se tornam em neurotoxinas quando não são ligados a outros aminoácidos.

Dr. Fabio Pisani

 

** Consultas nas áreas de Ortomolecular e Acupuntura são apenas particulares**

 

Site: www.fabiopisani.med.br

 

Medicina Ortomolecular I Acupuntura Médica I Fitoterapia Chinesa

Título pela AMHB de especialização em Homeopatia em 1990

Título pelo CBA de especialização em Acupuntura em 1993 

CRM 43711

R Dr. Vieira Bueno, 142, Cambuí

Campinas, SP, CEP 13024-040

Fones: (19) 3254-4012 e 3254-0747

E-mail: drfabiopisani@gmail.com

 

Para seguir e curtir, clique abaixo

Medicina Ortomolecular I Acupuntura Médica I Fitoterapia Chinesa
Título pela AMHB de especialização em Homeopatia em 1990
Título pelo CBA de especialização em Acupuntura em 1993
CRM 43711

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Deixe uma resposta

wpDiscuz