Demência Senil Saiba Como Suplementos e Vitaminas Podem Prevenir

Com o crescimento da população idosa, que vem ocorrendo nas últimas décadas, são cada vez mais comuns, os casos de declínio cognitivo, como a demência senil, o Alzheimer e outros tipos de demência.

Saiba como Suplementos e Vitaminas podem Prevenir a Demência Senil

Sabemos que, mesmo com uma alimentação saudável, hoje não obtemos mais todos os nutrientes necessários para manutenção da nossa saúde.

Seja pelo empobrecimento do solo, pelo excesso de alimentos industrializados ou por disfunções do nosso sistema digestivo, que prejudicar a digestão e a absorção de nutrientes.

demência, Alzheimer, perda de memória, demência senil, mal de Alzheimer, déficit cognitivo, carência de vitamina B12, falta de vitamina B12,

Vitaminas do Complexo B e Ômega 3

Em se tratando de diminuição da memória, as vitaminas do complexo B e os ácidos graxos Ômega 3 tem um papel muito importante.

Do grupo das vitaminas B, as mais importantes em se tratando de perda de memória, e mesmo problemas mais sérios como demência senil e Alzheimer, destacam-se o Ácido fólico, a B12 e a B6, têm ações importantes no cérebro.

A Melhor Combinação para Proteger o Cérebro

Nosso cérebro é composto em grande parte por gorduras, dentre elas se destacam as do grupo Ômega 3, onde temos DHA e EPA, sendo que o DHA é o ácido graxo mais importante para o cérebro, enquanto o EPA o é para as membranas celulares e vasos.

A alimentação do brasileiro, de forma geral, é muito rica em Ômega 6, e pobre em Ômega 3, razão pela qual, para manter uma boa saúde do cérebro é aconselhável fazer uma reposição de Ômega 3 de boa qualidade.

O Papel da Homocisteína

A Homocisteína é um aminoácido derivado da Metionina, e a falta de Ácido fólico, B12 e B6 na alimentação, pode levar a um aumento da homocisteína, que associado à deficiência de Ômega 3, podem causar ao longo dos anos, atrofia cerebral, demência e Alzheimer.

É importante ressaltar, que estudos mostraram, que os efeitos benéficos do Ômega 3 e de Ácido fólico, B12 e B6, em demência e Alzheimer, ocorrem quando são usados em conjunto.

A homocisteína elevada está associada à degeneração cerebral, e as vitaminas do complexo B são conhecidas reduzirem a homocisteína.

Vitaminas do Complexo B Podem Retardar a Atrofia do Cérebro  

Um estudo feito em 2010, mostrou que pessoas que receberam uma suplementação com vitaminas do complexo B (ácido fólico, B 12 e B 6) em doses acima das recomendadas, apresentaram atrofia do tecido cerebral, bem menor do que a do grupo controle, que recebeu placebo, prevenindo assim o Alzheimer.

Estudo Mostra que Vitaminas do Complexo B Podem Retardar o Alzheimer

Um estudo feito em 2013 mostrou, que não só as vitaminas citadas no estudo anterior desaceleram a atrofia cerebral, como retardam especificamente o encolhimento nas regiões do cérebro conhecidas como as mais impactadas pelo mal de Alzheimer.

Além disso, nessas áreas específicas, a atrofia foi reduzida em até sete vezes.

Estes estudos mostraram que os participantes que tomaram altas doses de ácido fólico e de vitaminas B6 e B12 diminuíram os níveis de homocisteína e a atrofia cerebral foi reduzida em até 90%.

Estes dois estudos mostram que a suplementação com estas vitaminas B pode retardar a atrofia de regiões específicas do cérebro que são um componente importante no processo do mal de Alzheimer e que estão associadas ao declínio cognitivo (perda de memória).

Alimentos Ricos em Vitamina B12 Reduzem os Riscos de Alzheimer 

Embora verduras folhosas, nozes e ervilhas, também fornecem algumas das vitaminas B, quem tem uma alimentação totalmente vegetariana ou vegana, tem risco maior de ter deficiência de vitamina B12.

A vitamina B12 está naturalmente presente nos alimentos de origem animal, como carnes, peixe, ovos, leite e produtos lácteos. Nesses casos, a suplementação é realmente importante.

Porém nem sempre conseguimos absorver adequadamente a B12. Ela é a maior molécula de vitamina que conhecemos e, por causa de seu tamanho avantajado, não é facilmente absorvida.

A Absorção da Vitamina B12 Diminui Com o Envelhecimento

A vitamina B12 requer uma proteína gástrica chamada fator intrínseco para se ligar a ela, permitindo que seja absorvida no final do intestino delgado (íleo terminal).

O fator intrínseco é absorvido primeiramente, puxando a molécula B12 anexada com ele.

À medida que envelhecemos nossa capacidade de produzir o fator intrínseco diminui, aumentando, assim, o risco de deficiência de vitamina B12.

O uso de Metformina também pode inibir a absorção de B12, principalmente em doses maiores.

Uso excessivo de café pode reduzir a absorção da vitamina B12, assim como o uso regular de antiácidos.

Outras Vitaminas Importantes Para a Saúde do Cérebro

Além das vitaminas do complexo B, as vitaminas C e D também são importantes para a saúde cerebral.

A vitamina C atua na produção de neurotransmissores, entre eles a serotonina. Também melhora o QI, memória, e protege contra a degeneração senil do cérebro.

A combinação das vitaminas C e E ajuda a reduzir o risco de demência senil em 60%.

A vitamina C também tem efeitos destoxificantes e, devido à sua capacidade de atravessar a barreira hematoencefálica, ajudando a remover os metais tóxicos do cérebro.

Níveis otimizados de vitamina D3 mostraram ajudar a prevenir o declínio cognitivo.

Fontes de Bons Nutrientes Para o Cérebro

O declínio cognitivo acontece devido às escolhas ruins de estilo de vida, como uma alimentação pobre em nutrientes, rica em açúcares, poucos vegetais, excesso de gorduras trans e muitas toxinas (pesticidas e aditivos artificiais, etc).

Preferir alimentos orgânicos, para evitar pesticidas tóxicos, cultivados localmente.

Além do ácido fólico, B12, B6, C, D e E, podemos acrescentar um Omega 3 de origem animal de boa procedência.

**Apenas a especialidade de Homeopatia é atendida através da Unimed, nas demais áreas, os atendimentos são apenas particulares.

Formação e Pós-Graduação Médico formado pela Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp em 1981 Pós-Graduação em Homeopatia, pela Associação Médica Homeopática do Paraná Título de especialização em Homeopatia pela Associação Médica Brasileira de Homeopatia (AMHB) em 1990. RQE: 69860 Pós-Graduação em Acupuntura pela Escola Paulista de Medicina (Unifesp) Título de especialização em Acupuntura pelo Colégio Brasileiro de Acupuntura (CBA) em 1993. RQE: 69859 Livros Publicados “Mudança de Hábito Alimentar”, publicado em 1995, atualmente na 4ª edição “Emagrecer, porque só fechar a boca não resolve”, primeira edição em 2014. Áreas de Atuação A nossa atuação se dá nas áreas de Homeopatia e Acupuntura. A proposta do meu trabalho, é através de um tratamento personalizado, considerando a individualidade bioquímica, mental e emocional de cada pessoa, não apenas tratar doenças, principalmente preveni-las. A busca pelo equilíbrio bioquímico e energético, é o melhor caminho para atingirmos um nível ótimo de saúde, e com isso ampliarmos ao máximo nosso período de vida saudável, e encurtarmos o nosso período de doença. Este objetivo pode ser atingido através de várias estratégias, que vão da mudança de estilo de vida, de hábitos alimentares, eliminação de toxinas que nos fazem adoecer, e pela suplementação de vitaminas, minerais, nutracêuticos e fitonutrientes. Terapias como Homeopatia, Acupuntura e Ortomolecular são ótimas ferramentas para tratarmos desequilíbrios de ordem física, mental e emocional, e podem ser utilizadas quando necessárias. Mudanças no estilo de vida, como atividade física regular e adequada, redução do stress e sono reparador são essenciais para atingirmos esses objetivos. Em suma, o nosso objetivo, é tratar o paciente de uma forma personalizada e mais completa possível.

Deixe uma resposta