Hipotireoidismo Subclínico Sinais e Sintomas

hipotireoidismo subclínico, ainda pouco conhecido, pode estar por trás da dificuldade para emagrecer que muitas mulheres apresentam, mesmo fazendo dietas e praticando atividade física, conheça seus sinais e sintomas.

Entenda como Funciona a sua Tireoide

A tireoide é uma glândula em forma de asa de borboleta localizada no pescoço, que produz os hormônios regem todo nosso metabolismo.
Os hormônios produzidos pela tireoide são a Tri-iodotironina (T3) e a Tiroxina (T4).

A produção destes hormônios é controlada pelo TSH (Hormônio Estimulador da Tireoide) que é produzido pela hipófise.
A tireoide produz 80% de T4 e 20% de T3. O T4 será convertido em T3 nas células alvos, onde ele vai atuar, pois o T4 não é ativo.

T4 não é o Hormônio Ativo

É importante frisar que o T4 que dosamos no sangue, não é um hormônio ativo, ele precisa ser convertido para T3. Este processo consiste na retirada de 1 iodo por enzimas chamadas deiodinases. Para fazerem esta retirada, estas enzimas necessitam de nosso corpo tenha níveis suficientes de Selênio e Zinco, caso contrário os níveis de T3 serão insuficientes.
Resumindo, se a tireoide está lenta o TSH se eleva, caso ela esteja produzindo T3 e T4 de forma equilibrada o TSH fica dentro dos valores normais.
Além do T3 e T4 a tireoide produz também a Calcitonina, que é um hormônio que reduz os níveis de Cálcio no sangue.

Sinais e Sintomas de Hipertireoidismo 

Se a produção de T3 e T4 estiver elevada, apresenta-se um quadro de HIPERTIREOIDISMO, entre os principais sintomas principais, por exemplo, estão:

  • Agitação acentuada
  • Olhos saltados
  • Perda de peso acentuada
  • Sudorese aumentada
  • Taquicardia

Importante ressaltar, que o hipertireoidismo não é comum, é mais prevalente entre os homens.

hipotireoidismo, hipotireoidismo subclínico sintomas, hipotireoidismo subclínico depressão, hipotireoidismo subclínico hashimoto

Hipotireoidismo Subclínico, Sinais e Sintomas 

Caso a produção de T3 e T4 esteja abaixo do normal, a pessoa apresenta HIPOTIREOIDISMO onde  os principais sintomas são:

  • Ansiedade
  • Confusão mental (brain fog)
  • Constipação intestinal
  • Depressão
  • Desejo de doces
  • Dificuldade para emagrecer e facilidade para engordar
  • Dificuldade para transpirar, mesmo fazendo exercícios
  • Diminuição da memória e da concentração
  • Dores pelo corpo
  • Elevação dos níveis de colesterol (com alimentação adequada)
  • Enxaqueca
  • Fadiga crônica
  • Fibromialgia
  • Ganho de peso sem grandes exageros alimentares
  • Infecções recorrentes
  • Irregularidades no ciclo menstrual
  • Libido diminuída
  • Metabolismo lento
  • Muito cansaço e desânimo, sem causa aparente
  • Palpitações
  • Pele seca
  • Queda de cabelo
  • Retenção de líquidos e inchaço
  • Rouquidão
  • Sensibilidade ao frio (precisa colocar meias para dormir)
  • Unhas fracas

Porque as Mulheres têm mais Dificuldade para Emagrecer do que os Homens?

hipotireoidismo é muito mais frequente entre mulheres, mais de 90% dos casos ocorre em mulheres.
Em grande parte dos indivíduos com sobrepeso, e mesmo pessoas com hipotireoidismo, os exames de função tireoidiana podem estar dentro da normalidade.
É importante ficarmos atentos aos casos em que pacientes tenham sintomas clínicos de hipotireoidismo mesmo apresentando TSH, T4 e até T3 dentro dos limites da normalidade. Nestes casos, a clínica pode ser mais importante do que os dados laboratoriais, pois esta pessoa pode estar a caminho de um hipotireoidismo, só que naquele momento, ainda não houve alteração significativa nos exames laboratoriais.
As faixas de normalidade para TSH e T4 já foram alteradas em 2009 nos USA, porém no Brasil ainda continuamos usando os parâmetros antigos. Poucos laboratórios fizeram estas alterações até o momento, e por consequência, muitos casos de hipotireoidismo deixam de ser diagnosticados e tratados.

Como Agem os Hormônios

É importante saber que a ação de qualquer hormônio, depende de 4 fatores:

  • A produção do hormônio pela glândula
  • O transporte deste hormônio pelo sangue (feito por uma globulina)
  • A ligação e ação no receptor no alvo onde ele irá atuar.

Em tese podemos ter problemas em qualquer um destes fatores. Portanto não devemos simplificar demais as coisas e pensar que se os níveis hormonais estiverem Ok, tudo vai estar funcionando perfeitamente. Para a tireoide em especial, isso é muito verdadeiro.

Porque os Médicos quase não Diagnosticam o Hipotireoidismo Subclínico?

Na prática, nós médicos deixamos de diagnosticar pelo menos 50% dos casos de hipotireoidismo.

A tireoide, do meu ponto de vista, é a glândula mais difícil de ser compreendida. Para se ter uma ideia disso, quando nosso corpo não consegue converter T4 para T3, aumentamos a produção de rT3 (T3 reverso), que tem ação oposta ao T3, isto é, faz com que nosso metabolismo basal se reduza e por consequência ocorre ganho de peso e falta de energia, entre muitas alterações. Resumindo, mesmo com TSH e T4 normais, nosso corpo apresenta um hipotireoidismo funcional, mas não laboratorial.

Casos em que os níveis de T4, T3 e TSH estão dentro da normalidade, porém os sinais e sintomas de hipotireoidismo são evidentes, têm sido diagnosticados como Hipotireoidismo Subclínico. Na prática seria uma situação de pré-hipotireoidismo laboratorial, onde a tireoide está funcionando, porém de forma não otimizada.

Indivíduos com hipotireoidismo subclínico podem apresentar ganhos discretos de peso e dificuldade para emagrecer, sensibilidade ao frio, alterações menstruais entre outros sintomas, dependendo do nível de queda do T4 e T3.

A tireoidite de Hashimoto é a principal causa de hipotireoidismo. Neste caso o nosso sistema imune reconhece a tireoide como uma estrutura estranha e passa a ataca-la.

Outro fator também muito importante é a carência crônica de iodo na nossa alimentação. O iodo presente no sal de cozinha é suficiente apenas para evitar o bócio, mas não é suficiente para nutrir todas as nossas necessidades deste mineral.

Os Tratamentos Naturais podem ajudar a tratar o Hipotireoidismo Subclínico?

Em outras palavras, a hipofunção da tireoide também pode ocorrer por deficiência do Iodo ou por excesso de outras substâncias halógenas como Flúor, Cloro e Bromo em nosso corpo.

Em conclusão, muitos casos de hipotireoidismo pode m ser tratados com terapias naturais, como a fitoterapia, Medicina Ortomolecular, a Fitoterapia e a Acupuntura, de forma exclusiva ou em associação com os tratamentos convencionais, com boas chances de sucesso.

Veja mais no meu livro “Emagrecer, Porque Só Fechar a Boca não Resolve”hipotireoidismo, hipotireoidismo subclínico sintomas, hipotireoidismo subclínico depressão, hipotireoidismo subclínico hashimoto

**Apenas a especialidade de Homeopatia é atendida através da Unimed, nas demais áreas, os atendimentos são apenas particulares.

Formação e Pós-Graduação Médico formado pela Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp em 1981 Pós-Graduação em Homeopatia, pela Associação Médica Homeopática do Paraná Título de especialização em Homeopatia pela Associação Médica Brasileira de Homeopatia (AMHB) em 1990. RQE: 69860 Pós-Graduação em Acupuntura pela Escola Paulista de Medicina (Unifesp) Título de especialização em Acupuntura pelo Colégio Brasileiro de Acupuntura (CBA) em 1993. RQE: 69859 Livros Publicados “Mudança de Hábito Alimentar”, publicado em 1995, atualmente na 4ª edição “Emagrecer, porque só fechar a boca não resolve”, primeira edição em 2014. Áreas de Atuação A nossa atuação se dá nas áreas de Homeopatia e Acupuntura. A proposta do meu trabalho, é através de um tratamento personalizado, considerando a individualidade bioquímica, mental e emocional de cada pessoa, não apenas tratar doenças, principalmente preveni-las. A busca pelo equilíbrio bioquímico e energético, é o melhor caminho para atingirmos um nível ótimo de saúde, e com isso ampliarmos ao máximo nosso período de vida saudável, e encurtarmos o nosso período de doença. Este objetivo pode ser atingido através de várias estratégias, que vão da mudança de estilo de vida, de hábitos alimentares, eliminação de toxinas que nos fazem adoecer, e pela suplementação de vitaminas, minerais, nutracêuticos e fitonutrientes. Terapias como Homeopatia, Acupuntura e Reposição de Nutrientes são ótimas ferramentas para tratarmos desequilíbrios de ordem física, mental e emocional, e podem ser utilizadas quando necessárias. Mudanças no estilo de vida, como atividade física regular e adequada, redução do stress e sono reparador são essenciais para atingirmos esses objetivos. Em suma, o nosso objetivo, é tratar o paciente de uma forma personalizada e mais completa possível.

Deixe uma resposta