Resistência a Insulina, Está Associada à Obesidade

A resistência à insulina ocorre quando a glicose em nosso sangue não consegue entrar dentro das células para gerar energia.

Em pessoas acima do peso ou barrigudas, o pâncreas tem que produzir cada vez mais insulina, pois com o sangue cheio de açúcar, a membrana celular fica como que “caramelizada”, dificultando a ação da insulina.

Carboidratos e a Insulina

Hoje sabemos que a principal causa de obesidade é o consumo desenfreado de carboidratos.

Em última análise todos os carboidratos devem ser transformados em glicose, pois ela é o combustível preferencial, que será utilizado pelas mitocôndrias (organelas que existem dentro de todas as células) para gerar a juntamente com o oxigênio que respiramos, a energia que nosso corpo precisa para funcionar.

Caramelização da Membrana Celular

Mas para adentrar o interior das células, a glicose precisa passar pela membrana celular, e isso só pode ser feito com a ajuda da insulina, um hormônio produzido pelo pâncreas.

Acontece que em quem está acima do peso, o pâncreas tem que produzir cada vez mais insulina, pois com o sangue cheio de açúcar, a membrana celular fica como que caramelizada, dificultando a ação da insulina, a isso chamamos de resistência à insulina.

A resistência à insulina é o primeiro passo para a obesidade, diabetes e outras patologias crônicas e degenerativas.

A associação entre obesidade e diabetes é tão grande, que os americanos criaram o termo Diabesidade para definir esta nova patologia.

Resistência à Insulina e Obesidade

gordura abdominal, resistência a insulina, resistência insulínica,

Agora vejamos alguns dos fenômenos que ocorrem quando temos excesso de insulina no sangue:

  • Não conseguimos gerar energia a partir do tecido gorduroso, pelo contrário, a insulina alta estimula a formação de mais ácidos graxos (blocos básicos de gorduras) e triglicerídeos que vão ser armazenados nas células gordurosas.
  • Com a insulina elevada, nossa fome e desejo de comer doces são praticamente constantes, pois como esta glicose não entra na célula estamos sempre sem energia.
  • O corpo passa a reter mais sal e água e diminui a eliminação de líquidos e aparece o inchaço e a elevação da pressão arterial.
  • Os aminoácidos que seriam utilizados para produção dos neurotransmissores (serotonina, dopamina) diminuem, e surge a irritabilidade, sono irregular e a depressão.

Como Tratar a Resistência a Insulina

Estes são apenas alguns dos efeitos principais de uma taxa elevada de insulina.

Para solucionar este desequilíbrio, o remédio mais eficaz é a adoção de um tratamento que envolva uma mudança de hábitos alimentares, atividade física adequada, Medina Ortomolecular, Fitoterapia, Acupuntura entre outras terapias.

Vários fitoterápicos podem ajudar a reduzir a resistência insulínica, entre eles estão: Bitter melon, Camelia sinensis, Berberina e a Bauhinia forficata.

E por fim um conselho que dou a todos os meus pacientes “Não queira ser emagrecida (o) pelo seu médico, comprometa-se com o tratamento, faça sua parte!!”

**Apenas a especialidade de Homeopatia é atendida através da Unimed, nas demais áreas, os atendimentos são apenas particulares.

Formação e Pós-Graduação Médico formado pela Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp em 1981 Pós-Graduação em Homeopatia, pela Associação Médica Homeopática do Paraná Título de especialização em Homeopatia pela Associação Médica Brasileira de Homeopatia (AMHB) em 1990. RQE: 69860 Pós-Graduação em Acupuntura pela Escola Paulista de Medicina (Unifesp) Título de especialização em Acupuntura pelo Colégio Brasileiro de Acupuntura (CBA) em 1993. RQE: 69859 Livros Publicados “Mudança de Hábito Alimentar”, publicado em 1995, atualmente na 4ª edição “Emagrecer, porque só fechar a boca não resolve”, primeira edição em 2014. Áreas de Atuação A nossa atuação se dá nas áreas de Homeopatia e Acupuntura. A proposta do meu trabalho, é através de um tratamento personalizado, considerando a individualidade bioquímica, mental e emocional de cada pessoa, não apenas tratar doenças, principalmente preveni-las. A busca pelo equilíbrio bioquímico e energético, é o melhor caminho para atingirmos um nível ótimo de saúde, e com isso ampliarmos ao máximo nosso período de vida saudável, e encurtarmos o nosso período de doença. Este objetivo pode ser atingido através de várias estratégias, que vão da mudança de estilo de vida, de hábitos alimentares, eliminação de toxinas que nos fazem adoecer, e pela suplementação de vitaminas, minerais, nutracêuticos e fitonutrientes. Terapias como Homeopatia, Acupuntura e Reposição de Nutrientes são ótimas ferramentas para tratarmos desequilíbrios de ordem física, mental e emocional, e podem ser utilizadas quando necessárias. Mudanças no estilo de vida, como atividade física regular e adequada, redução do stress e sono reparador são essenciais para atingirmos esses objetivos. Em suma, o nosso objetivo, é tratar o paciente de uma forma personalizada e mais completa possível.

Deixe uma resposta