Hipotireoidismo Subclínico, Conheça seus Sinais e Sintomas

Hipotireoidismo Subclínico Sinais e Sintomas

hipotireoidismo subclínico, ainda pouco conhecido, pode estar por trás da dificuldade para emagrecer que muitas mulheres apresentam, mesmo fazendo dietas e praticando atividade física, conheça seus sinais e sintomas.

Entenda como Funciona a sua Tireoide

A tireoide é uma glândula em forma de asa de borboleta localizada no pescoço, que produz os hormônios regem todo nosso metabolismo.
Os hormônios produzidos pela tireoide são a Tri-iodotironina (T3) e a Tiroxina (T4).

A produção destes hormônios é controlada pelo TSH (Hormônio Estimulador da Tireoide) que é produzido pela hipófise.
A tireoide produz 80% de T4 e 20% de T3. O T4 será convertido em T3 nas células alvos, onde ele vai atuar, pois o T4 não é ativo.

T4 não é o Hormônio Ativo

É importante frisar que o T4 que dosamos no sangue, não é um hormônio ativo, ele precisa ser convertido para T3. Este processo consiste na retirada de 1 iodo por enzimas chamadas deiodinases. Para fazerem esta retirada, estas enzimas necessitam de nosso corpo tenha níveis suficientes de Selênio e Zinco, caso contrário os níveis de T3 serão insuficientes.
Resumindo, se a tireoide está lenta o TSH se eleva, caso ela esteja produzindo T3 e T4 de forma equilibrada o TSH fica dentro dos valores normais.
Além do T3 e T4 a tireoide produz também a Calcitonina, que é um hormônio que reduz os níveis de Cálcio no sangue.

Sinais e Sintomas de Hipertireoidismo 

Se a produção de T3 e T4 estiver elevada, apresenta-se um quadro de HIPERTIREOIDISMO, entre os principais sintomas principais, por exemplo, estão:

  • Agitação acentuada
  • Olhos saltados
  • Perda de peso acentuada
  • Sudorese aumentada
  • Taquicardia

Importante ressaltar, que o hipertireoidismo não é comum, é mais prevalente entre os homens.

hipotireoidismo, hipotireoidismo subclínico sintomas, hipotireoidismo subclínico depressão, hipotireoidismo subclínico hashimoto

Hipotireoidismo Subclínico, Sinais e Sintomas 

Caso a produção de T3 e T4 esteja abaixo do normal, a pessoa apresenta HIPOTIREOIDISMO onde  os principais sintomas são:

  • Ansiedade
  • Confusão mental (brain fog)
  • Constipação intestinal
  • Depressão
  • Desejo de doces
  • Dificuldade para emagrecer e facilidade para engordar
  • Dificuldade para transpirar, mesmo fazendo exercícios
  • Diminuição da memória e da concentração
  • Dores pelo corpo
  • Elevação dos níveis de colesterol (com alimentação adequada)
  • Enxaqueca
  • Fadiga crônica
  • Fibromialgia
  • Ganho de peso sem grandes exageros alimentares
  • Infecções recorrentes
  • Irregularidades no ciclo menstrual
  • Libido diminuída
  • Metabolismo lento
  • Muito cansaço e desânimo, sem causa aparente
  • Palpitações
  • Pele seca
  • Queda de cabelo
  • Retenção de líquidos e inchaço
  • Rouquidão
  • Sensibilidade ao frio (precisa colocar meias para dormir)
  • Unhas fracas

Porque as Mulheres têm mais Dificuldade para Emagrecer do que os Homens?

hipotireoidismo é muito mais frequente entre mulheres, mais de 90% dos casos ocorre em mulheres.
Em grande parte dos indivíduos com sobrepeso, e mesmo pessoas com hipotireoidismo, os exames de função tireoidiana podem estar dentro da normalidade.
É importante ficarmos atentos aos casos em que pacientes tenham sintomas clínicos de hipotireoidismo mesmo apresentando TSH, T4 e até T3 dentro dos limites da normalidade. Nestes casos, a clínica pode ser mais importante do que os dados laboratoriais, pois esta pessoa pode estar a caminho de um hipotireoidismo, só que naquele momento, ainda não houve alteração significativa nos exames laboratoriais.
As faixas de normalidade para TSH e T4 já foram alteradas em 2009 nos USA, porém no Brasil ainda continuamos usando os parâmetros antigos. Poucos laboratórios fizeram estas alterações até o momento, e por consequência, muitos casos de hipotireoidismo deixam de ser diagnosticados e tratados.

Como Agem os Hormônios

É importante saber que a ação de qualquer hormônio, depende de 4 fatores:

  • A produção do hormônio pela glândula
  • O transporte deste hormônio pelo sangue (feito por uma globulina)
  • A ligação e ação no receptor no alvo onde ele irá atuar.

Em tese podemos ter problemas em qualquer um destes fatores. Portanto não devemos simplificar demais as coisas e pensar que se os níveis hormonais estiverem Ok, tudo vai estar funcionando perfeitamente. Para a tireoide em especial, isso é muito verdadeiro.

Porque os Médicos quase não Diagnosticam o Hipotireoidismo Subclínico?

Na prática, nós médicos deixamos de diagnosticar pelo menos 50% dos casos de hipotireoidismo.

A tireoide, do meu ponto de vista, é a glândula mais difícil de ser compreendida. Para se ter uma ideia disso, quando nosso corpo não consegue converter T4 para T3, aumentamos a produção de rT3 (T3 reverso), que tem ação oposta ao T3, isto é, faz com que nosso metabolismo basal se reduza e por consequência ocorre ganho de peso e falta de energia, entre muitas alterações. Resumindo, mesmo com TSH e T4 normais, nosso corpo apresenta um hipotireoidismo funcional, mas não laboratorial.

Casos em que os níveis de T4, T3 e TSH estão dentro da normalidade, porém os sinais e sintomas de hipotireoidismo são evidentes, têm sido diagnosticados como Hipotireoidismo Subclínico. Na prática seria uma situação de pré-hipotireoidismo laboratorial, onde a tireoide está funcionando, porém de forma não otimizada.

Indivíduos com hipotireoidismo subclínico podem apresentar ganhos discretos de peso e dificuldade para emagrecer, sensibilidade ao frio, alterações menstruais entre outros sintomas, dependendo do nível de queda do T4 e T3.

A tireoidite de Hashimoto é a principal causa de hipotireoidismo. Neste caso o nosso sistema imune reconhece a tireoide como uma estrutura estranha e passa a ataca-la.

Outro fator também muito importante é a carência crônica de iodo na nossa alimentação. O iodo presente no sal de cozinha é suficiente apenas para evitar o bócio, mas não é suficiente para nutrir todas as nossas necessidades deste mineral.

Os Tratamentos Naturais podem ajudar a tratar o Hipotireoidismo Subclínico?

Em outras palavras, a hipofunção da tireoide também pode ocorrer por deficiência do Iodo ou por excesso de outras substâncias halógenas como Flúor, Cloro e Bromo em nosso corpo.

Em conclusão, muitos casos de hipotireoidismo pode m ser tratados com terapias naturais, como a fitoterapia, Medicina Ortomolecular, a Fitoterapia e a Acupuntura, de forma exclusiva ou em associação com os tratamentos convencionais, com boas chances de sucesso.

Veja mais no meu livro “Emagrecer, Porque Só Fechar a Boca não Resolve”hipotireoidismo, hipotireoidismo subclínico sintomas, hipotireoidismo subclínico depressão, hipotireoidismo subclínico hashimoto

**Apenas a especialidade de Homeopatia é atendida através da Unimed, nas demais áreas, os atendimentos são apenas particulares.

Hipotireoidismo, Porque os Tratamentos Podem Falhar

Hipotireoidismo, Porque os Tratamentos Podem Falhar

A tireoide, essa glândula em forma de asa de borboleta que fica na parte anterior do pescoço, influencia praticamente todas as células do organismo, entenda porque os tratamentos de hipotireoidismo podem falhar em alguns casos.

Os dados mostram que cerca de 60% das pessoas com disfunção tireoidiana não sabem que estão nesta condição.

Disfunções da tireoide podem estar associados a quadros de fibromialgia, síndrome do intestino irritável, eczema, gengivite e distúrbios autoimunes, por exemplo

As mulheres são muito mais susceptíveis ao mau funcionamento da tireoide do que os homens, algo como 9 mulheres para cada 1 homem afetados por hipotireoidismo.

Funcionamento da Tireoide

A glândula tireoide secreta quatro hormônios: T1, T2, T3 e T4. O número indica o número de moléculas de iodeto ligadas ao hormônio.

Os hormônios tireoidianos interagem com outros hormônios, tais como insulina, cortisol e hormônios sexuais.

O Câncer da Tireoide Evolui de Forma Diferente de Outros Tipos de Câncer

Embora não seja minha área, gostaria de fazer alguns comentários acerca do câncer de tireoide.

Sem dúvida a detecção precoce dos canceres em geral, sem dúvida melhora muito o prognóstico e a qualidade de vida de quem apresenta este quadro.

Mas no caso do câncer de tireoide, as cosas parecem não funcionar desta forma. Boa parte dos cânceres de tireoide evoluem muito lentamente, e a glândula poderia ser preservada, evitando-se assim procedimentos mais radicais.

Claro que em alguns casos, é necessário sim um procedimento mais agressivo.

Porém em muitos casos, o rastreamento do câncer de tireoide produzirá um resultado falso positivo, encontrando cânceres que jamais cresceriam na forma de tumores ameaçadores à vida.

No entanto, uma vez descoberto, a maioria dos médicos sente-se na obrigação de recomendar tratamento que geralmente inclui remoção da glândula tireoide, o que pode produzir efeitos colaterais significantes.

Talvez Você Tenha Hipotireoidismo e Não Saiba

hipotireoidismo, hipotireoidismo subclínico sintomas, hipotireoidismo subclínico depressão, hipotireoidismo subclínico, hashimoto

O número de pessoas diagnosticadas com hipotireoidismo, nos Estados Unidos aumentou tanto que a Levotiroxina (T4) é o medicamento mais prescrito, ultrapassando as estatinas em 2015.

Foi feito um estudo na Europa no qual os pesquisadores compararam os resultados da administração de T4 com os exames laboratoriais para medir função tireoidiana, justamente para avaliar a eficácia deste tratamento.

Os médicos geralmente solicitam um teste de TSH, prescrevendo medicamentos quando os níveis estão levemente elevados, mesmo que o paciente não reclame de sintomas significantes.

Mas o que mais acontece é o contrário, pacientes com sintomatologia exuberante de hipotireoidismo, com exames dentro da normalidade, ficam sem tratamento adequado, até que os exames se alterem. Infelizmente a maioria dos médicos desconhece o hipotireoidismo subclínico, no qual os exames estão normais.

Retardantes de Chamas Afetam o Funcionamento da Tireoide

A medida que envelhecemos, o hipotálamo, a hipófise e a tireoide também envelhecem, logo é esperado que o envelhecimento produza um certo grau de hipotireoidismo em quase todos nós.

Deficiência de Iodo e Função Tireoidiana

Existem muitos fatores externos e internos que também podem diminuir a ação dos hormônios da tireoide.

Embora existam controvérsias, acredito que grande parte da população do planeta apresenta alguma deficiência de iodo. A iodetação do sal de cozinha serve apenas para evitar o aparecimento do bócio, mas não consegue suprir nossas necessidades de iodo e iodeto.

A propósito, tireoide absorve iodo na forma de iodeto, porém outros órgãos como as mamas, a pele, a próstata, ovários, esôfago necessitam de iodo.

Porém a presença de iodo na nossa dieta, não é suficiente para o bom funcionamento da tireoide, pois os minerais como cloro, flúor e bromo são “concorrentes” do iodo.

“Concorrentes” do Iodo

O T4 é formado de 2 moléculas de tirosina e 4 átomos de iodo, em tese.

Com a excessiva presença de cloro e flúor na água e em outros produtos, e do bromo, no pão e também como retardante de chamas nos carpetes e nos carros. Podemos ter uma molécula de T4 composta pelas tirosinas, mas sem iodos, apenas com bromo, cloro e flúor. O que implica em ter um T4, não funcional, porém isso não pode ser detectado pelos exames disponíveis atualmente.

Sintomas Mais Comuns do Hipotireoidismo

Alguns sintomas de hipotireoidismo são:

  • Ansiedade
  • Confusão mental (brain fog)
  • Constipação intestinal
  • Depressão
  • Desejo de doces
  • Dificuldade para emagrecer e facilidade para engordar
  • Dificuldade para transpirar, mesmo fazendo exercícios
  • Diminuição da memória e da concentração
  • Dores pelo corpo
  • Elevação dos níveis de colesterol (mesmo com alimentação adequada)
  • Enxaqueca
  • Fadiga crônica
  • Fibromialgia
  • Ganho de peso sem grandes exageros alimentares
  • Infecções recorrentes
  • Irregularidades no ciclo menstrual
  • Libido diminuída
  • Metabolismo lento
  • Muito cansaço e desânimo, sem causa aparente
  • Palpitações
  • Pele seca
  • Queda de cabelo
  • Retenção de líquidos e inchaço
  • Rouquidão
  • Sensibilidade ao frio (precisa colocar meias para dormir)
  • Unhas fracas

Outras Formas de Tratar o Hipotireoidismo 

Existem diversas estratégias naturais que podem ajudar a regularizar o funcionamento tireoidiano.

Na Ortomolecular podemos utilizar procedimentos que vão desde a destoxificação das substâncias que podem estar impedindo o transporte e a ação dos hormônios tireoidianos, a suplementação de iodo, zinco, selênio, tirosina, por exemplo que irão ajudar na síntese T4 e T3.

Também podemos tratar os sintomas resultantes do hipotireoidismo com a Acupuntura e com a Fitoterapia.

Veja mais no meu livro “Emagrecer, Porque Só Fechar a Boca não Resolve”

hipotireoidismo, hipotireoidismo subclínico sintomas, hipotireoidismo subclínico depressão, hipotireoidismo subclínico, hashimoto

**Apenas a especialidade de Homeopatia é atendida através da Unimed, nas demais áreas, os atendimentos são apenas particulares.

Iodo, Saiba como a Deficiência Afeta a sua Tireoide

Iodo, Saiba como a Deficiência Afeta a Sua Tireoide

Os hormônios tireoidianos atuam em todas as células do nosso corpo, regulando o metabolismo e o peso corporal, através da queima de gorduras para produção de energia e calor. Saiba como a Deficiência de Iodo Afeta sua Tireoide.

O Iodo é Essencial para a Saúde da Tireoide

deficiência de iodo, lugol, suplementação de iodo

O iodo é essencial para termos uma tireoide saudável, e um metabolismo eficaz.

A Tiroxina (T4) é formada de 2 moléculas de tirosina e 4 átomos de iodo.

Triodotironina (T3), por sua vez é formada por 2 moléculas de tirosina e 3 átomos de iodo.

Para formar T3, uma molécula de iodo é retirada do T4, por uma enzima chamada de deiodinase, que necessita da presença de selênio em nosso corpo.

O T3 é a forma ativa dos hormônios tireoidianos, não existem receptores para T4 em nossas células, apenas para o T3.

Também por este motivo, valores normais de T4, não significam necessariamente que o nossa tireoide esteja funcionando corretamente.

As 3 Carências Nutricionais mais Comuns

Ao redor do planeta existem 3 carências nutricionais, que afetam grande parte da população são elas: magnésio, vitamina d e iodo.

Por certo elas não afetam todas as populações da mesma forma, e, também existem regiões que não apresentam estas deficiências.

Por ser um fator crucial na formação dos hormônios tireoidianos, a carência de iodo tem levado a um aumento na ocorrência dos casos de hipotireoidismo, que vem crescendo nas últimas décadas.

Ações do Iodo no nosso Corpo

Falta de energia, cansaço excessivo sem causa, dificuldade para emagrecer.

Pele seca, queda de cabelo, constipação intestinal, alterações no ciclo menstrual, sensibilidade ao frio aumentada, são sinais e sintomas que indicam hipofunção da tireoide.

Ele vem sendo utilizado há mais de um século, para prevenir e tratar casos de bócio (aumento do volume da tireoide) que ocorriam em regiões carentes em iodo.

Mas tem outras funções importantes no organismo:

  • Controle do metabolismo e manutenção do peso corporal
  • Desenvolvimento do cérebro em crianças, podendo levar a casos de cretinismo, quando a sua deficiência é muito acentuada
  • Fertilidade feminina
  • É antibacteriano, antiparasitário, antiviral e anticancerígeno.

Ele  não é importante apenas para tireoide, ele é necessário também para as mamas, próstata, útero, ovários, pele, estomago e esôfago.

Por Que os Níveis de Iodo Estão em Queda?

Ao mesmo tempo em que a quantidade de iodo vem diminuindo nas últimas décadas, outros minerais halógenos, da mesma família do iodo na tabela periódica, como o flúor, o cloro e o bromo, têm estado muito mais presentes em nosso cotidiano.

Estes halogênios são absorvidos através dos alimentos, da água, dos medicamentos e do meio ambiente.

Flúor, Cloro e Bromo, ocupam os sítios de ligação do iodo na formação das moléculas de T4 e T3.

Quando isso ocorre, teremos T4 e T3 disfuncionais, isso significa que. Podemos ter níveis normais de T4 e T3, mas com disfunção tireoidiana.

A fluoretação da água é o principal contribuinte para a deficiência de iodo, além de ser bastante prejudicial para a saúde de diversas formas.

Outros Fatores que contribuem para a Queda dos Níveis de Iodo são:

  • Dietas pobres em peixe, mariscos e algas marinhas
  • Dietas vegetarianas
  • Redução do uso de sal iodado

Haletos Tóxicos São os Principais Concorrentes do Iodo

Junto com Flúor, Cloro e Bromo formam à família dos halógenos, na tabela periódica. Estes minerais, quando sofrem processo de oxidação, transformam-se em haletos.

São então chamados de iodetos, fluoreto, cloreto e brometo.

O iodeto e o cloreto em pequenas quantidades são benéficos para nosso organismo. Já o fluoreto e o brometo, são altamente prejudiciais, podendo contribuir para o desenvolvimento de várias doenças.

Brometos e fluoretos são de difícil eliminação pelo organismo, e ficam depositados em vários tecidos orgânicos. Uma boa forma de eliminar estas toxinas, é através da homeopatia.

Brometos

Entre os haletos, o brometo tem um destaque negativo especial, pois, está presente em nosso meio ambiente de diversas formas.

Em refrigerantes isotônicos e refrigerantes, e na panificação, diminuindo o tempo necessário para assar a massa.

Também está presente em alguns medicamentos e produtos de higiene pessoal e cosméticos.

O bromo igualmente pode ser encontrado em retardantes de chamas usados em tapetes, colchões, estofados e mobília e em alguns equipamentos médicos.

O Brasil recentemente tornou ilegal o uso do brometo em farinhas, mas isso não significa que estejamos livres dos bromatos.

Se você for consumir um pão que esfarele muito, há uma grande chance deste pão conter bromato de sódio.

Infelizmente em um país com as dimensões do Brasil, não se consegue fiscalizar a contento.

Como Elevar os Níveis de Iodo?

A melhor fonte natural de iodo são as algas marinhas, onde ele é altamente biodisponível, e se encontra em 4 isoformas.

Como no Brasil não existe o hábito do consumo regular de algas na nossa alimentação, a suplementado.

Hoje existem várias formas de iodo disponíveis para suplementação, recomendo sempre que se procure um profissional de saúde, pois as doses necessárias   são muito baixas, e devem ser ajustadas de forma individual.

Para as mulheres que estão pensando em engravidar, ou já estão grávidas, manter seus níveis no patamar ideal é muito importante.

Procurar consumir algas marinhas ou suplementos pré-natal com a quantidade e a forma corretas de iodo, para ajudar a proteger seu bebê.

Dicas para Otimizar o Funcionamento da Tireoide

  • Abaixo algumas dicas para otimizar o funcionamento da tiroide:
  • Identifique e trate as causas subsequentes (por exemplo, deficiência de iodo, desequilíbrio hormonal, toxicidade ambiental, inflamações)
  • O iodo, assim como a tirosina, o selênio, as vitaminas A e D, o zinco, as vitaminas B e as gorduras ômega 3, devem estar presentes na alimentação ou na suplementação, pois são importantes para o funcionamento da tireoide
  • Alergias alimentares, intolerância ao glúten e alimentos goitrogênicos, tais como soja, interferem na utilização do iodo
    • Goitrogênicos, são substâncias que dificultam a absorção de iodo e estão associados ao hipotireoidismo. Eles podem ser alimentos (vegetais crucíferos, como repolho, brócolis, couve de Bruxelas, couve-flor, couve chinesa e couve) ou medicamentos (carbonato de lítio, Rivotril, Clonazepam, Amiodarona) 
  • Faça bastante exercícios, eliminação de toxinas pelo suor
  • Faça saunas e banhos de imersão quentes para desintoxicação

Como Eliminar os Haletos Tóxicos

Procurar eliminar os haletos tóxicos do organismo, para que iodo em seu organismo seja capaz de armazenar e melhorar o funcionamento da tireoide.

Algumas sugestões para aumentar a eliminação do flúor e do bromo:

  • Altas doses de iodo
  • Altas doses de vitamina C
  • Banhos de sais de Epsom
  • Medicamentos homeopáticos
  • Sal marinho integral
  • Sauna seca, pois esta não tem cloro

**Apenas a especialidade de Homeopatia é atendida através da Unimed, nas demais áreas, os atendimentos são apenas particulares.

Hipotireoidismo Subclínico e T3 Reverso, Como Saber se Você Tem

Hipotireoidismo Subclínico e T3 Reverso, Como Saber se Você Tem

O Hipotireoidismo Subclínico e pode ocorrer na presença de THS, T4 e T3 dentro dos valores de referência laboratoriais.

Neste caso pode ocorrer uma conversão deficiente de T4 → T3, e um aumento na produção de T3 reverso (rT3).

O T3 reverso é um dos hormônios que nos fazem engordar!!! Tem ação oposta à do seu “irmão gêmeo”, o T3. O rT3 aumenta, quando por algum motivo o T4 não é convertido para T3, isso pode ocorrer em pessoas que fazem reposição hormonal para tireoide e o uso de anticoncepcionais.

Mitocôndrias, nossas Geradoras de Energia

Existem dentro de todas as nossas células pequenas organelas chamadas mitocôndrias, que geram toda a energia que nosso corpo precisa para o seu funcionamento.

As mitocôndrias podem utilizar carboidratos, gorduras e até aminoácidos como substrato para gerar energia, preferencialmente nesta ordem.

Mas a escolha do substrato depende de vários fatores, entre eles da nossa dieta e da nossa atividade física. Sobre falarei em outro texto.

O ritmo de geração de energia pelas mitocôndrias depende entre outros fatores, de um hormônio produzido pela tireoide, a tri-iodotironina, também conhecido como T3.

A Tireoide e a Produção de T4 e T3

A tireoide produz mais T4 (80%) do que T3 (20%), na verdade o T4 precisa ser convertido em T3, o que é feito por enzimas chamadas deiodinases.

Na realidade o T4 não é hormônio propriamente dito, pois não existem receptores para ele em nosso corpo. O T4 é um pró hormônio, e o T3 é a forma ativa do hormônio tireoidiano.

Quando nosso T4 está sendo produzido em quantidades adequadas e a conversão para T3 também está ocorrendo adequadamente, nosso corpo gera energia de forma adequada e nosso metabolismo está otimizado.

Sintomas de Hipotireoidismo

Porém existem casos, e não são poucos, em que as dosagens dos hormônios tireoidianos estão dentro da faixa de normalidade e mesmo assim o metabolismo está lento.

Alguns sintomas de Hipotireoidismo são:

  • Ansiedade
  • Confusão mental (brain fog)
  • Constipação intestinal
  • Depressão
  • Desejo de doces
  • Dificuldade para emagrecer e facilidade para engordar
  • Dificuldade para transpirar, mesmo fazendo exercícios
  • Diminuição da memória e da concentração
  • Dores pelo corpo
  • Elevação dos níveis de colesterol (mesmo com alimentação adequada)
  • Enxaqueca
  • Fadiga crônica
  • Fibromialgia
  • Ganho de peso sem grandes exageros alimentares
  • Infecções recorrentes
  • Irregularidades no ciclo menstrual
  • Libido diminuída
  • Metabolismo lento
  • Muito cansaço e desânimo, sem causa aparente
  • Palpitações
  • Pele seca
  • Queda de cabelo
  • Retenção de líquidos e inchaço
  • Rouquidão
  • Sensibilidade ao frio (precisa colocar meias para dormir)
  • Unhas fracas

Os sintomas do hipotireoidismo subclínico, são os mesmos do hipotireoidismo, porém com exames normais.

A seguir veremos algumas das causas de hipotireoidismo subclínico.

T3 e T3 reverso no Hipotireoidismo Subclínico

Acontece que existem duas formas de T3. A forma que ativa o metabolismo, que é o T3 funcional e uma outra forma chamada rT3, ou T3 reverso, que coloca nosso corpo no modo de economizar energia (que é ruim para quem quer emagrecer).

hipotireoidismo subclínico T3 reverso

A diferença entre os dois tipos de T3 está apenas na forma espacial da molécula. Porem as duas formas se encaixam no mesmo receptor celular, só que uma forma ativa o metabolismo e a outra desativa. Mas o que leva ao aumento do rT3?

Dietas Radicais Causam Aumento de T3 Reverso

Por mais estranho que pareça, as dietas de fome com muito baixas calorias, levam nosso corpo a entende-las como um risco para a sobrevivência, por isso a tireoide ao invés de produzir T3, passa a produzir mais rT3, para poupar energia e armazenar gordura.

Isso explica porque quase que a totalidade das dietas de baixas caloria, quando repetidas ao longo da vida deixam de emagrecer, e levam num segundo momento ao reganho de peso.

Anticoncepcionais Dificultam a Conversão de T4 para T3

O uso prolongado de anticoncepcionais orais costuma ao longo dos anos, levar a uma diminuição da conversão de T4 para T3, e a um aumento da produção de rT3.

Esta elevação vai levar a uma redução do metabolismo basal e por consequência, a um aumento de peso, mesmo com alimentação adequada.

O Stress também Eleva o T3 reverso

Outro fator muito importante para o aumento de rT3 é o stress. Quando vivemos sob stress crônico, o cortisol que é produzido pelas glândulas adrenais em resposta ao stress, leva a diminuição da produção do TSH, que estimula a tireoide a produzir o T4 e T3, e pior ainda, aumentar a produção de rT3, levando também a redução do metabolismo e ganho de peso.

Reposição de T4 e Hipotireoidismo Subclínico

Outro fator muito importante porém, pouco considerado na prática clínica, é a própria reposição do T4 em pacientes com hipotireoidismo.

Como o T4 não e o hormônio ativo, pois não existem receptores para T4, ele precisa necessariamente virar T3, que é o hormônio ativo.

Quando esta conversão não ocorre, por vários fatores, o T4 que não virou T3, vira T3 reverso, piorando os sintomas do hipotireoidismo.

É muito comum, pessoas fazendo reposição de hormônio tireoidiano, com TSH e T4 normais, mas sem melhoras dos sintomas que as levaram a buscar o tratamento, como cansaço crônico, falta de energia, entre muitos outros.

Deficiência de Selênio e Zinco e o Hipotireoidismo Subclínico

Para que o T4 seja convertido para T3, é necessário, que a molécula de Tiroxina(T4), perca um Iodo, transformando-se me Tri-iodotironina (T3).

Este Iodo é retirado por uma enzima chamada Deiodinase, que por sua vez necessita da presença de níveis adequados de Selênio e Zinco no nosso organismo.

Sem estes minerais podemos ter T4 suficiente, mas uma pobre conversão para T3, por esse motivo a investigação do Hipotireoidismo apenas pela dosagem de T4 e TSH, pode deixar, e deixa muitas mulheres com hipotiroidismo, sem diagnóstico.

Exames Normais, Nem Sempre Significam Funcionamento Normal da Tireoide

Com esta informação fica claro que exames de tireoide que apresentem TSH, T4 e T3 dentro da faixa de normalidade estatística, que são os valores de referência, não são os valores ótimos.

Estes valores de referência, não garantem que a nossa tireoide e nosso metabolismo estejam funcionando num nível ótimo.

Concluindo, se existirem os sintomas de hipotireoidismo persistem, nos casos que estão em tratamento, é importante que investiguemos também, os níveis de rT3.

Veja mais no meu livro “Emagrecer, Porque Só Fechar a Boca não Resolve”

hipotireoidismo subclínico T3 reverso

**Apenas a especialidade de Homeopatia é atendida através da Unimed, nas demais áreas, os atendimentos são apenas particulares.