Hipotireoidismo Subclínico e T3 Reverso, Como Saber se Você Tem

Hipotireoidismo Subclínico e T3 Reverso, Como Saber se Você Tem

O Hipotireoidismo Subclínico e pode ocorrer na presença de THS, T4 e T3 dentro dos valores de referência laboratoriais.

Neste caso pode ocorrer uma conversão deficiente de T4 → T3, e um aumento na produção de T3 reverso (rT3).

O T3 reverso é um dos hormônios que nos fazem engordar!!! Tem ação oposta à do seu “irmão gêmeo”, o T3. O rT3 aumenta, quando por algum motivo o T4 não é convertido para T3, isso pode ocorrer em pessoas que fazem reposição hormonal para tireoide e o uso de anticoncepcionais.

Mitocôndrias, nossas Geradoras de Energia

Existem dentro de todas as nossas células pequenas organelas chamadas mitocôndrias, que geram toda a energia que nosso corpo precisa para o seu funcionamento.

As mitocôndrias podem utilizar carboidratos, gorduras e até aminoácidos como substrato para gerar energia, preferencialmente nesta ordem.

Mas a escolha do substrato depende de vários fatores, entre eles da nossa dieta e da nossa atividade física. Sobre falarei em outro texto.

O ritmo de geração de energia pelas mitocôndrias depende entre outros fatores, de um hormônio produzido pela tireoide, a tri-iodotironina, também conhecido como T3.

A Tireoide e a Produção de T4 e T3

A tireoide produz mais T4 (80%) do que T3 (20%), na verdade o T4 precisa ser convertido em T3, o que é feito por enzimas chamadas deiodinases.

Na realidade o T4 não é hormônio propriamente dito, pois não existem receptores para ele em nosso corpo. O T4 é um pró hormônio, e o T3 é a forma ativa do hormônio tireoidiano.

Quando nosso T4 está sendo produzido em quantidades adequadas e a conversão para T3 também está ocorrendo adequadamente, nosso corpo gera energia de forma adequada e nosso metabolismo está otimizado.

Sintomas de Hipotireoidismo

Porém existem casos, e não são poucos, em que as dosagens dos hormônios tireoidianos estão dentro da faixa de normalidade e mesmo assim o metabolismo está lento.

Alguns sintomas de Hipotireoidismo são:

  • Ansiedade
  • Confusão mental (brain fog)
  • Constipação intestinal
  • Depressão
  • Desejo de doces
  • Dificuldade para emagrecer e facilidade para engordar
  • Dificuldade para transpirar, mesmo fazendo exercícios
  • Diminuição da memória e da concentração
  • Dores pelo corpo
  • Elevação dos níveis de colesterol (mesmo com alimentação adequada)
  • Enxaqueca
  • Fadiga crônica
  • Fibromialgia
  • Ganho de peso sem grandes exageros alimentares
  • Infecções recorrentes
  • Irregularidades no ciclo menstrual
  • Libido diminuída
  • Metabolismo lento
  • Muito cansaço e desânimo, sem causa aparente
  • Palpitações
  • Pele seca
  • Queda de cabelo
  • Retenção de líquidos e inchaço
  • Rouquidão
  • Sensibilidade ao frio (precisa colocar meias para dormir)
  • Unhas fracas

Os sintomas do hipotireoidismo subclínico, são os mesmos do hipotireoidismo, porém com exames normais.

A seguir veremos algumas das causas de hipotireoidismo subclínico.

T3 e T3 reverso no Hipotireoidismo Subclínico

Acontece que existem duas formas de T3. A forma que ativa o metabolismo, que é o T3 funcional e uma outra forma chamada rT3, ou T3 reverso, que coloca nosso corpo no modo de economizar energia (que é ruim para quem quer emagrecer).

hipotireoidismo subclínico T3 reverso

A diferença entre os dois tipos de T3 está apenas na forma espacial da molécula. Porem as duas formas se encaixam no mesmo receptor celular, só que uma forma ativa o metabolismo e a outra desativa. Mas o que leva ao aumento do rT3?

Dietas Radicais Causam Aumento de T3 Reverso

Por mais estranho que pareça, as dietas de fome com muito baixas calorias, levam nosso corpo a entende-las como um risco para a sobrevivência, por isso a tireoide ao invés de produzir T3, passa a produzir mais rT3, para poupar energia e armazenar gordura.

Isso explica porque quase que a totalidade das dietas de baixas caloria, quando repetidas ao longo da vida deixam de emagrecer, e levam num segundo momento ao reganho de peso.

Anticoncepcionais Dificultam a Conversão de T4 para T3

O uso prolongado de anticoncepcionais orais costuma ao longo dos anos, levar a uma diminuição da conversão de T4 para T3, e a um aumento da produção de rT3.

Esta elevação vai levar a uma redução do metabolismo basal e por consequência, a um aumento de peso, mesmo com alimentação adequada.

O Stress também Eleva o T3 reverso

Outro fator muito importante para o aumento de rT3 é o stress. Quando vivemos sob stress crônico, o cortisol que é produzido pelas glândulas adrenais em resposta ao stress, leva a diminuição da produção do TSH, que estimula a tireoide a produzir o T4 e T3, e pior ainda, aumentar a produção de rT3, levando também a redução do metabolismo e ganho de peso.

Reposição de T4 e Hipotireoidismo Subclínico

Outro fator muito importante porém, pouco considerado na prática clínica, é a própria reposição do T4 em pacientes com hipotireoidismo.

Como o T4 não e o hormônio ativo, pois não existem receptores para T4, ele precisa necessariamente virar T3, que é o hormônio ativo.

Quando esta conversão não ocorre, por vários fatores, o T4 que não virou T3, vira T3 reverso, piorando os sintomas do hipotireoidismo.

É muito comum, pessoas fazendo reposição de hormônio tireoidiano, com TSH e T4 normais, mas sem melhoras dos sintomas que as levaram a buscar o tratamento, como cansaço crônico, falta de energia, entre muitos outros.

Deficiência de Selênio e Zinco e o Hipotireoidismo Subclínico

Para que o T4 seja convertido para T3, é necessário, que a molécula de Tiroxina(T4), perca um Iodo, transformando-se me Tri-iodotironina (T3).

Este Iodo é retirado por uma enzima chamada Deiodinase, que por sua vez necessita da presença de níveis adequados de Selênio e Zinco no nosso organismo.

Sem estes minerais podemos ter T4 suficiente, mas uma pobre conversão para T3, por esse motivo a investigação do Hipotireoidismo apenas pela dosagem de T4 e TSH, pode deixar, e deixa muitas mulheres com hipotiroidismo, sem diagnóstico.

Exames Normais, Nem Sempre Significam Funcionamento Normal da Tireoide

Com esta informação fica claro que exames de tireoide que apresentem TSH, T4 e T3 dentro da faixa de normalidade estatística, que são os valores de referência, não são os valores ótimos.

Estes valores de referência, não garantem que a nossa tireoide e nosso metabolismo estejam funcionando num nível ótimo.

Concluindo, se existirem os sintomas de hipotireoidismo persistem, nos casos que estão em tratamento, é importante que investiguemos também, os níveis de rT3.

Veja mais no meu livro “Emagrecer, Porque Só Fechar a Boca não Resolve”

hipotireoidismo subclínico T3 reverso

**Apenas a especialidade de Homeopatia é atendida através da Unimed, nas demais áreas, os atendimentos são apenas particulares.