Como Aumentar a Imunidade Contra Vírus e Bactérias

Dicas para Aumentar a Imunidade

Com o início do inverno aqui no Brasil, aumenta muito o número de pessoas tossindo e espirrando a nossa volta, e devemos nos preocupar em aumentar a imunidade.

aumentar a imunidade

Certamente nem todos apresentam um quadro viral ou bacteriano, na maior parte das vezes, é apenas uma rinite ou um episódio alérgico.

Porém, em 2020, a presença da Covid-19, e em algumas regiões do nosso país, junho e julho é a temporada de gripe. Certamente nunca foi tão importante ter nosso sistema imune funcionando de forma otimizada.

Alimentos e Nutrientes para Aumentar a Imunidade

Ter uma alimentação saudável, variada e equilibrada, é muito importante para obtermos as vitaminas, minerais, aminoácidos, fitoquímicos e outros nutrientes essenciais para a manutenção de funcionamento adequado da nossa imunidade.

Vitaminas e Minerais que ajudam a Aumentar a Imunidade

Infelizmente, na dieta ocidental atual, temos uma grande presença de alimentos processados, que são ricos em carboidratos de alta carga glicêmica, sal, gorduras de má qualidade, e pobres em fibras e nutrientes essenciais, como vitaminas, minerais, aminoácidos e fibras.

A seguir vamos ver algumas vitaminas importantes e suas fontes mais alimentares mais comuns.

A Vitamina A Pode Aumentar a Imunidade

A vitamina A, está presente nas abóboras, cenouras, ovos orgânicos ou caipiras, manteiga, óleo de fígado de bacalhau, goiaba entre muitos outros.

Ela aumenta a imunidade, reduz o risco de infecções, melhora as mucosas, principalmente a mucosa intestinal, onde estão as células que respondem por 75% da nossa resposta imune.

Exposição ao Sol e Vitamina D3

A vitamina D3, é minha favorita quando o assunto é imunidade. Embora tenha sido descoberta como uma vitamina, mas se fosse descoberta hoje, seria classificada como um hormônio, devido às suas inúmeras ações no nosso corpo.

Ela desempenha um papel importante na saúde imunológica, pode ser encontrada em quantidades limitadas óleos de fígado de bacalhau, no leite cru de vacas criadas em pastos, no salmão selvagem, e em ovos orgânicos, porém, a melhor maneira de aumentar seus níveis da vitamina é através da exposição à luz do sol.

O melhor horário para ser expor ao sol por incrível que pareça, é ao meio dia. Pois é neste horário, que temos maior concentração dos raios UVB, que estimulam a produção da vitamina D pela nossa pele.

Exposição ao sol é diferente de ficar torrando no sol. É regra é simples, uma exposição solar de 10 a 15 minutos, é suficiente para produzirmos vitamina D. Quanto mais clara a pele, menos tempo de exposição.

Quando a pele começa a ficar avermelhada e/ou quente, pronto já pode sair do sol. Importante, não tomar banho com sabonete, por algumas horas após tomar sol, pois a vitamina D é produzida pela pele, pode ser eliminada pela espuma do sabonete.

Porém, a solução mais prática é a suplementação, pois grande parte das pessoas não conseguem se expor ao sol regularmente.

É importante saber que existem dois tipos de vitamina D, a D3 e a D2, está é de origem vegetal, e tem pouca atividade no nosso corpo. Portanto o ideal é sempre usar a vitamina D3.

Vitamina C consegue Aumentar a Imunidade

Alguns dos alimentos mais ricos em vitamina C incluem frutas cítricas como laranjas, limões, acerola, goiaba, pimentões vermelhos e brócolis. Todos fornecem vitamina C e outros antioxidantes poderosos, que fortalecem sua resposta imunológica.

Vitamina K2 também Melhora a Resposta Imune

Outro nutriente importante para função imune, porém pouco lembrado, é a vitamina K2. A vitamina K existe em várias formas que, como a K1, K2 e K3, mas já foram identificadas 23 formas diferentes de vitamina K, mas apenas a K1, K2, K3 tem suas funções conhecidas, as outras formas ainda não.

Este grupo de vitaminas pode ser encontrado em alimentos como: couve de Bruxelas, espinafre cru, brócolis, alface, cenoura crua, alimentos de origem animal e alimentos fermentados.

A vitamina K1, foi a primeira a ser descoberta, e está associada à coagulação. A K2 tem ação antioxidante, imune estimulante e cardioprotetora. Como fica difícil conseguir a nossa necessidade diária apenas pela alimentação, a melhor forma em termos de suplementação, é a MK7. A dose deve ser definida por um profissional da saúde.

Vitaminas do Complexo B ajudam a Aumentar a Imunidade

As vitaminas do complexo B são especialmente eficazes para melhorar o sistema imunológico, quando combinadas com os alimentos que as contêm, de forma que todas elas possam trabalhar sinergicamente, para proporcionar o máximo de resultados.

Fazem parte do complexo B as vitaminas: B1 (tiamina), B2 (riboflavina), B3 (niacina), B5 (ácido pantotênico) e B7 (biotina), B12 (cobalamina) e a B9 (ácido fólico)

A vitamina B12, é um nutriente essencial para combater gripes e resfriados, assim como a vitamina B6, que combate aos micro-organismos patogênicos, e fortalece o sistema imunológico, protegendo inclusive contra os efeitos nocivos da poluição do ar.

O ácido fólico (vitamina B9), ajuda a reparar os tecidos e contribuem para o metabolismo celular e suporte imunológico.

Algumas Fontes Alimentares de Vitaminas do Complexo B

  • Vitamina B1: farelo e farinha de arroz, germe de trigo, pistache, semente de gergelim e aveia.
  • Vitamina B2: ovos de galinha, cogumelos, feijão, agrião, espinafre e leite de cabra.
  • Vitamina B3: farelo de arroz, farelo de trigo, amendoim, semente de girassol torrada.
  • Vitamina B5: farelo de arroz, semente de girassol torrada, fígado de boi e de galinha, truta, germe de trigo, cogumelo.
  • Vitamina B6: farelo de arroz, avelã, alho fresco, atum, banana.
  • Vitamina B7: ovos, amendoim, avelã, amêndoas, acelga, amendoim.
  • Vitamina B9: germe de trigo, amendoim, espinafre, lentilha, folha de nabo.
  • Vitamina B12: fígado de boi e de galinha, atum fresco, sardinha fresca. Pessoas vegetarianas devem ter especial atenção com a carência desta vitamina.

Selênio e Zinco Minerais que podem Aumentar a Imunidade

Dentre os minerais, o zinco ocupa um lugar de destaque, pois ajuda a criar e ativar os glóbulos brancos do seu sistema imunológico.

Boas fontes de zinco são a carne vermelha, frango orgânico ou caipira, espinafre, nozes e sementes de abóbora.

O selênio é outro poderoso antioxidante para a proteção do sistema imunológico, pode ser encontrado na castanha-do-pará, em carnes de frango, peru e boi.

Melhorando a Saúde Intestinal com Probióticos e Prebióticos

Outra forma de melhorar nossa microbiota intestinal é pelo uso dos probióticos, que são micro-organismos benéficos, que podemos ingerir, e assim reequilibrar nossa flora intestinal, e consequentemente aumentar a nossa imunidade.

Como sabemos grande parte da nossa imunidade se forma a partir do intestino, por isso devemos cuidar bem dele. Podemos fazer isso através da alimentação ingerindo vegetais fermentados, que são ótimos prebióticos, e ajudam a nutrir nossa flora intestinal.

Os probióticos podem ser comprados prontos ou preparados em farmácias de manipulação. Para que sua ação seja a melhor possível, é recomendado que sua prescrição seja feita por profissionais da área de saúde.

Alimentos Fermentados ajudam a Aumentar a Imunidade

Além dos vegetais fermentados, um dos alimentos fermentados mais saudáveis é o kefir, que é rico em enzimas e repleto de micro-organismos benéficos que ajudam a equilibrar o nosso microbioma e a fortalecer as defesas imunológicas.

Outros alimentos fermentados benéficos incluem natto, picles, chucrute, missô, tempeh e iogurte natural. É bom se certificar que o iogurte industrializado, não contenha açúcar.

Fibras para Melhorar a Digestão e Aumentar a Imunidade

Estudos mostram, que as fibras não apenas melhoram nosso microbioma intestinal, como também aumentam a imunidade, pois os amidos resistentes agem como prebióticos que alimentam as bactérias saudáveis no intestino. Como resultado, melhoram o peristaltismo intestinal, e mantêm as fezes se movendo suavemente pelo do cólon. E de bônus, ainda melhoram a saúde cardiovascular, controlando a glicemia e o colesterol.

Existem dois tipos de fibras: a solúvel, que se dissolve facilmente na água e se torna um gel, e a insolúvel, que não se dissolve, mas permanece basicamente intacta enquanto se move pelo cólon; ambos os tipos são importantes para a digestão e a saúde intestinal.

Uma alimentação rica em fibras é capaz de melhorar a diversidade microbiana no intestino, e está associada melhores respostas durante o tratamento dos quadros infecciosos.

Dormir Bem é Essencial para Aumentar a Imunidade

É fato comprovado, que pessoas que dormem poucas horas por noite, têm mais probabilidade de apresentar menor resposta imune, quando comparadas com as que dormem entre 7 e 8 horas por noite.

Estudos mostram que não consegue dormir entre 7 e 8 horas por noite, pode comprometer a saúde diversas maneiras.

Várias noites seguidas sem o sono reparador aumentam as chances para desenvolvermos várias doenças.

A insuficiência do sono diminui rapidamente a nossa função imunológica, deixando nosso sistema aberto a influências ambientais, incluindo viroses, gripes e resfriados,

Além da deficiência do sistema imune, o sono insuficiente, também está correlacionado com as seguintes doenças:

  • Demência, incluindo a doença de Alzheimer
  • Diabetes, o que é verdade mesmo para crianças
  • Aumento de ocorrência de doenças cardiovasculares
  • Maior incidência de depressão e ansiedade
  • Aumento do risco de obesidade
  • Alguns tipos de câncer, notadamente de mama

Mais Dicas para Manter o Sistema Imune Otimizado

Além de uma alimentação saudável, atividade física regular, meditação e sono restaurador, existem atitudes simples que podemos tomar, e que trarão grandes melhoras na nossa qualidade de vida

  • Evitar alimentos processados, pois eles nos tornam propensos ao desenvolvimento de doenças crônicas
  • Evitar o álcool em excesso, pois ele pode prejudicar o funcionamento das células imunológicas
  • Reduzir o excesso de peso, pois ele pode afetar a capacidade de os glóbulos brancos se multiplicarem, produzir anticorpos e prevenir a inflamação
  • Incluir atividades físicas, apenas 20 minutos de caminhada cinco dias por semana podem melhorar a função do seu sistema imunológico

Gripes e Resfriados Saiba como Prevenir Naturalmente

Gripes e Resfriados Saiba como Prevenir Naturalmente

Todos os anos no outono-inverno começa a temporada de resfriados e gripes. Existem várias vitaminas, minerais e fitonutrientes, que podem prevenir gripes e resfriados de forma natural. Mas o que nem todos sabem, é que existem semelhanças e diferenças eles estes dois quadros.

gripe, resfriado, influenza, imunidade baixa, imunidade diminuída, como tratar gripe, como tratar resfriado

Semelhanças Entre Gripe e Resfriado

  • Gripe e resfriado são causados por vírus
  • Resfriado e gripe podem causar sintomas respiratórios altos, como coriza, tosse e espirros
  • Gripe e resfriado apresentam forma de contágio semelhante
  • Gripe e resfriado são facilmente transmissíveis de uma pessoa para outra

A gripe é uma infecção mais forte que o resfriado, costuma durar menos tempo e apresenta maior taxa de complicações.

A gripe pode ser perigosa em idosos, bebês e pessoas com imunidade diminuída. O resfriado, raramente causa complicações.

As Diferenças entre Gripe e Resfriados

  • Tipo de vírus: as gripes são causadas por vírus do grupo Influenza, ao passo que os resfriados são causados por diversos tipos de vírus, como o Rinovírus, o Adenovírus e outros menos comuns.
  • Coriza e espirros: é frequente nos resfriados e rara, ou ausente nas gripes
  • Dor de garganta: comum nos resfriados, nem sempre é dor, pode ser apenas uma irritação ou desconforto na garganta. Nas gripes pode ou não ocorrer, depende do vírus.
  • Dores no corpo: são raras nos resfriados e bem intensas nas gripes.
  • Febre: rara ou baixa nos resfriados, e comum nas gripes, podendo ser bem elevadas, principalmente nas crianças.
  • Cefaleia e dores no corpo: muito frequente nas gripes e raras nos resfriados.
  • Fraqueza e cansaço: comum nas gripes e raras nos resfriados.
  • Tosse: no resfriado costuma ser seca e causa pouco desconforto. Já nas gripes, costuma incomodar por mais tempo e apresenta secreção mais espessa.
  • Sintomas iniciais: os resfriados vão piorando gradualmente, nos 3 primeiros dias, depois melhoram. Já as gripes, tem uma instalação mais abrupta, com piora dos sintomas, logo nas primeiras horas
  • Complicações: as complicações mais comuns dos resfriados são a otite média e a sinusite. A gripe, quando complica, costuma evoluir para otite também, ou para pneumonia.
  • Duração: os resfriados costumam evoluir por mais tempo, por 3 a 7 dias. Já as gripes, embora mais intensas, evoluem por 2 a 5 dias em média.

 As Verdadeiras Causas de Resfriados e Gripes

Como já vimos tanto gripes quanto resfriados são causados por vírus, portanto não há indicação do uso de antibióticos, a não ser que uma infecção bacteriana surja como uma complicação.

Embora resfriados e gripes sejam desencadeados por vírus, a causa básica pode ser baixos níveis de vitamina D, que reduzem significativamente a nossa resposta imune e nos tornam muito mais suscetíveis a contrair resfriados, gripe e outras infecções.

Além dos níveis insuficientes de vitamina D, outros fatores também podem contribuir para enfraquecer nosso sistema imune:

  • Uso excessivo de açúcar e grãos
  • Sono insuficiente e/ou não reparador
  • Sedentarismo

Vitamina D3 para Vencer o Resfriado e a Gripe

A vitamina D é um agente antimicrobiano eficaz, que pode matar bactérias, vírus e fungos.

Sabemos que grande parte das pessoas possuem níveis baixos de vitamina D, mesmo as que moram em países ensolarados. Isso se deve basicamente a falta de exposição ao sol, seja por trabalharem em ambientes fechados, ou pela heliofobia (medo de tomar sol).

Adultos geralmente precisam de uma média de 5.000 UI por dia, porém alguns precisam tomar de 20.000 a 30.000 UI diariamente para levar o seu nível de vitamina D até os níveis otimizados.

Isso ocorre porque nos absorvemos a vitamina D suplementada de formas diferentes.

O mesmo vale para a exposição solar. Peles mais claras precisam de menor tempo de exposição ao sol, do que as peles mais escuras para produzir a mesma quantidade de vitamina D.

O que Fazer para Melhorar nossa Imunidade

Quando percebemos que imunidade está baixa, existem alguns alimentos que devem ser evitados, pois, podem deprimir ainda mais nosso sistema imune, são eles: o açúcar, os adoçantes artificiais e alimentos industrializados.

Também fortalecem nossa imunidade, sono reparador, prática regular de exercícios e redução das fontes de stress, além claro, de uma alimentação saudável.

Aqui é importante ressaltar que o excesso de atividade física gera estresse, por isso pode reduzir a nossa imunidade.

A nossa imunidade, depende de vários fatores. Como 80% do nosso sistema imune está no intestino, é essencial cuidarmos dele o tempo todo.

Muitos medicamentos podem ser a microbiota intestinal e alterar a permeabilidade intestinal, entre eles os antibióticos, anti-inflamatórios, os anticoncepcionais.

Porém, todo medicamento químico é um potencial agressor para nosso intestino, pois são substancias estranhas ao nosso corpo.

Stress e Imunidade Baixa 

O stress é outro vilão, quando se fala de imunidade. O stress costuma, em suas fases iniciais, elevar os níveis de cortisol.

Esta elevação constante do cortisol, provocará alteração do pH do estômago, que por sua vez afeta o pH do intestino, desequilibrando tanto a flora, quando a mucosa intestinal, reduzindo assim nossa resposta imune.

Dicas Naturais para Aumentar a Imunidade

Existem alguns alimentos e tratamentos que podem fortalecer nossa imunidade, entre eles estão:

  • Alimentos fermentados como Kefir, missô, picles e chucrute, por exemplo
  • Ovos orgânicos de galinhas caipiras
  • Coco e óleo de coco
  • Frutas e legumes cultivados localmente
  • Existem vários cogumelos que estimulam a imunidade, entre eles, Reishi, Shiitake e Maitake
  • Alho, que possui ação bactericida, viricida e fungicida
  • A suplementação com vitaminas e minerais, como as vitaminas C, D, o zinco e o selênio, por exemplo
  • Ervas como a cúrcuma longa, o óleo de orégano, o gengibre e a Echinacea, costumam ter alguma ação imunoestimulante
  • A própolis é usada mais frequentemente em forma de spray, em quadros agudos. Porém, quando usado de forma mais contínua, também melhora a imunidade
  • A fitoterapia chinesa em especial, possui muitas fórmulas milenares, com grande efeito imunoestimulante
  • A acupuntura também, ainda por mecanismos desconhecidos, costuma aumentar a nossa imunidade
  • Também medicamentos homeopáticos, ao longo do tempo costumam melhorar nossa resposta imune

**Apenas a especialidade de Homeopatia é atendida através da Unimed, nas demais áreas, os atendimentos são apenas particulares.

Depressão e Acupuntura, saiba como o Pulmão e a Tristeza estão envolvidos

Depressão e Acupuntura, Saiba Como o Pulmão e a Tristeza Estão Envolvidos

Na Acupuntura existe uma relação entre o pulmão e depressão. Sentimentos como tristeza, angústia e melancolia, também se relacionam com o ele.

pulmão, depressão e acupuntura, angústia

Para a Acupuntura, a nossa imunidade depende de uma energia que circula a poucos centímetros da nossa pele chamada de wei qi, energia esta que está ligada ao pulmão e à tristeza também.

Respiração e Energia Vital

O pulmão é o responsável pela captação da parte yang da energia vital que chega através da respiração, e os distúrbios desta função vão repercutir no pulmão e no rim, que é onde vai ser recebida e agregada com a parte yin da energia que entra pelo estômago com a alimentação.

Acupuntura e Imunidade

Outra função importante do pulmão é em relação à defesa do organismo. Esta defesa é diferente da imunidade humoral, que está ligada às células brancas do sangue (neutrófilos e linfócitos). Esta defesa é feita por uma energia que chamamos de wei qi, que é gerada pelo pulmão. Esta energia circula na superfície do corpo, e dá o primeiro combate aos ataques externos, sejam eles virais, bacterianos ou climáticos (vento, frio, umidade).

Estruturas Ligadas ao Pulmão

Energeticamente o pulmão rege várias estruturas, a saber: a garganta e suas estruturas (amígdalas, tireoide), nariz, seios da face, a pele e os pelos e o intestino grosso.

Tristeza, Angústia, Depressão e Melancolia

As emoções ligadas ao pulmão são a tristeza, a melancolia, a angústia e as tensões muito prolongadas. Aqui poderíamos incluir as depressões, mas aí o comprometimento energético é também do fígado. De uma forma mais genérica, poderíamos dizer que o pulmão é afetado pelas perdas afetivas, como os relacionamentos terminados ou a perda de entes queridos.

A Pele e o Pulmão

Uma relação muito importante é a da pele com o pulmão, fato que também é observado pelos colegas alopatas.

É bastante comum a evolução de um eczema para asma ou bronquite, e também o contrário, a asma ou bronquite quando tratadas por métodos naturais tendem a se resolver através de eliminações pela pele como um eczema ou uma dermatite.

Em alguns casos o tratamento de uma lesão de pele, feito de forma a suprimir a lesão, pode gerar como consequência patologias, que vão desde uma simples rinite até asmas ou pneumonias de repetição.

Portanto, toda a atenção com os tratamentos das alergias, dos eczemas, das dermatites, porque se forem tratados adequadamente, podem levar a manifestações no pulmão e o observador menos avisado, poderá pensar que são manifestações independentes, quando são na realidade a mesma doença em fases diferentes.

Transpiração Espontânea

Ainda na pele temos a transpiração, que é controlada pelo pulmão através da abertura e fechamento dos poros.

Num quadro de diminuição da energia do pulmão podemos observar com frequência a ocorrência de transpiração espontânea abundante, inclusive durante o sono.

Nestes casos, a energia está tão fraca que não consegue fechar os poros.

O Intestino Grosso está Ligado ao Pulmão

Outra estrutura regida pelo pulmão é o intestino grosso que, junto com a pele, funciona como órgão de eliminação, como nos quadros catarrais onde há eliminação de muco juntamente com as fezes.

Por outro lado, também temos as alergias alimentares que tem seu início nos intestinos e depois se manifestam na pele, podendo chegar a invadir o pulmão propriamente.

Podemos também citar a intolerância à lactose, que também tem manifestações ao nível intestinal e pulmonar.

Temos as constipações intestinais que podem ser por falta de líquidos, fibras, por excesso de calor, por excesso de umidade, por diminuição da energia total, por diminuição da energia do pulmão, e várias outras etiologias, assim sendo não é só tomando água e comendo frutas e verduras ou fibras em geral que vamos regularizar o funcionamento do intestino.

Problemas na Pele

Outra função comandada pelo pulmão é a produção de líquidos orgânicos. Esta função em primeira instância, pareceria ser do rim, mas é do pulmão.

Esta produção se dá basicamente pela respiração celular, onde vamos ter, como produtos finais, gás carbônico e água. Esta água, pode ser chamada de endógena, para diferenciar da água que consumimos via oral, ou em outros alimentos.

Uma disfunção neste processo de difusão da água, vai levar a formação dos edemas (inchaços) nas partes altas do corpo, como no rosto, nas pálpebras, diferente dos edemas inferiores que estão ligados à energia do rim.

Assim, resumindo, a água endógena é formada pelo pulmão e encaminhada ao rim, seguindo o mesmo caminho da energia yang captada pela respiração.

Palidez Excessiva

Uma forma fácil de reconhecer alguém com desarmonia da energia do pulmão, é pela cor extremamente branca do rosto (palidez). Para finalizar, o sabor que tonifica o pulmão é o picante, sempre em pequena quantidade, senão pode produzir calor e lesar o organismo.

Texto extraído do livro “Mudança de Hábito Alimentar”.

pulmão, depressão e acupuntura, angústia

**Apenas a especialidade de Homeopatia é atendida através da Unimed, nas demais áreas, os atendimentos são apenas particulares.