Detox, conheça os Tipos e Porque Devemos Fazê-lo

Detox, conheça os Tipos e Porque Devemos Fazê-lo

detox, detoxificação, destoxificação, desintoxicação

Vivemos em um mundo extremamente poluído, se quisermos ter boa saúde é importante que façamos algum tipo de Detox, para que nosso corpo elimine estas toxinas.

Detox podem ser feitos de várias formas, via alimentos, sucos, chás, vitaminas e minerais, suplementos e até mesmo por terapias frequenciais como homeopatia.

O Que Está Intoxicando Nosso Corpo?

Nunca na história da humanidade, estivemos expostos a tantos fatores agressores como estamos atualmente.

A poluição ocorre em vários níveis, desde os mais visíveis, como os produtos químicos conservantes, agrotóxicos, metais tóxicos, medicamentos, etc, micro-organismos vírus, bactérias, fungos e parasitas em geral até os invisíveis, como as radiações eletromagnéticas e ionizantes.

O nosso corpo não está programado para lidar com este excesso de fatores agressores tóxicos a que estamos expostos atualmente. Nossa genética nos permite lidar melhor com vírus, bactérias e fungos, pois sempre estivemos expostos a eles.

Porém desde a última guerra mundial, em 1945, foram criados 80 000 novos produtos químicos aos quais estamos expostos, e nosso corpo simplesmente não sabe como lidar com a maior parte deles.

Detox e os Tipos de Toxinas

Os fatores tóxicos podem ser endotoxinas (que são produzidas pelo nosso próprio metabolismo) também chamadas de homotoxinas.

Porém o grande perigo para nossa saúde, são as exotoxinas, que penetram em nosso corpo pela alimentação (conservantes, aditivos, corantes), pela água, pela respiração (ar) e pela pele.

Estas toxinas externas são agrotóxicos, pesticidas, medicamentos, álcool, metais tóxicos, xenoestrógenos como bisfenol A (BPA), ftalatos entre outros.

Os xenobióticos interferem em nossos receptores hormonais, impedindo a ação de vários hormônios.

Desequilibram a microbiota intestinal, que podem produzir alterações na pele, como urticaria, eczema, dermatite, depressão e até obesidade.

As exotoxinas podem entrar em nosso corpo basicamente pela alimentação, pelos intestinos, pela pele e pela respiração.

Como as toxinas são lipossolúveis, se acumulam principalmente no tecido gorduroso e no cérebro.

Disbiose intestinal e Detox

A mucosa que reveste o intestino, quando saudável, deve ser integra, como uma tela micro porosa, que permite a passagem apenas de micropartículas e bloqueia as macromoléculas.

Mas esta mucosa é diariamente agredida por metais tóxicos, agrotóxicos, pesticidas, conservantes, medicamentos químicos, alimentos inadequados ao nosso biotipo.

Esta agressão produz “rasgos” nesta mucosa, que por sua vez fica muito permeável e perde sua capacidade de seletiva de filtrar.

Como esta mucosa tem contato direto com a microcirculação, começamos a absorver substâncias nocivas ao nosso corpo.

Não bastasse isto, as bactérias, vírus, fungos e outros micro-organismos que formam nossa flora intestinal, também são afetadas por estes mesmos fatores agressores, e entram em desarmonia, deixando de ser benéficas e passando a patogênicas, a isso chamamos de disbiose intestinal.

Sabemos que o intestino produz cerca de 90% da nossa serotonina. A serotonina é um neurotransmissor que está associado a nosso sentimento de felicidade, prazer e bem-estar.

A serotonina encontra-se muito diminuída nas depressões. Do meu ponto de vista, uma das principais causas desta “epidemia” de depressão que estamos assistindo nos últimos anos, está associada a estas alterações na microbiota intestinal, e não somente aos fatores emocionais.

Como Funciona o Processo de Destoxificação?

Detox é a forma abreviada das palavras detoxification ou detoxificação em português.

Detoxificação ou destoxificação nada mais é do que a eliminação de substâncias toxicas do nosso organismo.

Nosso corpo já faz isso de uma forma automática através do fígado, intestinos, rins, sistema linfático, pele e pelos pulmões.

O fígado é o grande filtro e metabolizador, todas as toxinas precisam passar por ele para serem eliminadas.

Os intestinos também fazem algum tipo de metabolização, mas seu grande papel, juntamente com o sistema linfático, os rins, os pulmões e a pele é a eliminação de toxinas.

Fases do Detox

O processo de detoxificação é dividido em 3 fases que ocorrem principalmente no fígado.

  • Fase 1 ou bio transformação: as toxinas são preparadas paradas para serem eliminadas por meio de reações de hidrólise e óxido-redução. A fase 1 produz muitos radicais livres, daí a importância de termos nosso sistema de antioxidantes funcionando bem para evitar lesões em nossos tecidos.
  • Fase 2 ou conjugação:  estas toxinas são serão ligadas a radicais químicos para sua eliminação, num processo de conjugação, sulfatação, metilação, acetilação, glucoronidação entre outros.
  • Fase 3 ou eliminação: Após está conjugação, as toxinas seguem para eliminação pelos rins, intestinos, vesícula biliar, pele ou pulmão.

Durante o Detox, é importante que exista harmonia entre e fase 1 e a fase 2, pois se a primeira estiver muito ativa, e a fase 2 lenta, não vamos conseguir eliminar, e as toxinas irão aumentar no nosso corpo.

Os processos bioquímicos são bem mais complexos do que isso, mas de uma forma resumida é isso que ocorre, quando fazemos um Detox, seja ele feito por chás, sucos verdes ou outros métodos que podem ser prescritos por médicos e nutricionistas.

Tipos de Detox

Na prática clínica podemos usar vários fitoterápicos, vitaminas e minerais que podem agir estimulando tanto a fase 1 como a fase 2 de detoxificação.

Existem também vários medicamentos frequenciais ou vibracionais que podem aprofundar este processo de limpeza do organismo.

Estes medicamentos têm origem nas medicinas vibracionais e sua atuação vai além das células, suas membranas e organelas intracelulares.

Estes medicamentos agem na matriz extracelular, que é a estrutura que sustenta todas as células do nosso corpo.

Bem, e como fazemos o Detox? O ideal é introduzir um método que seja mais adequado para cada paciente.

Como eu Faço

Penso que a primeira providência a tomar, é eliminar o máximo possível destes fatores que estão agredindo a mucosa intestinal.

Em minha clínica uso medicamentos fitoterápicos (plantas), que funcionam de forma eficaz e ecológica, sem lesar o organismo e homeopatia para eliminar metais tóxicos.

Depois temos que oferecer ao organismo, pré e pró bióticos, para que a flora intestinal volte ao seu estado de equilíbrio.

Neste meio tempo temos que identificar os alimentos que nos fazem mal e os que são bons.

Aqui podem ser usados exames laboratoriais para identificar intolerâncias, hipersensibilidades ou alergias alimentares.

Em alguns casos se faz necessária a reposição de vitaminas e sais minerais, que após esta limpeza do organismo, podem ser usados em pequenas quantidades, pois vão ser melhor absorvidos pela mucosa intestinal.

Não Espere Adoecer para Ir ao Médico

Penso que 80% das doenças crônicas degenerativas como (artrite, artrose, aterosclerose, cansaço crônico, envelhecimento precoce, insônia, depressão, falta de concentração, alergias, constipação, obesidade, lesões de pele, falta de energia, imunidade diminuída, processos inflamatórios, etc) têm início ou são mantidas por esta “intoxicação crônica” a que somos submetidos diariamente.

**Apenas a especialidade de Homeopatia é atendida através da Unimed, nas demais áreas, os atendimentos são apenas particulares.

Colesterol Bom e Colesterol Ruim Será Que Existe Mesmo?

Colesterol Bom e Colesterol Ruim Será Que Existe Mesmo?

colesterol elevado, colesterol ruim, colesterol bom, níveis de colesterol, colesterol, colesterol ldl, colesterol hdl, triglicerídeos, triglicérides, colesterol bom e colesterol ruim

Será que existe mesmo Colesterol Bom e Colesterol Ruim?

O LDL colesterol é considerado pela imensa maioria dos profissionais de saúde, como um colesterol ruim, mas será que é mesmo?

O LDL colesterol para se tornar prejudicial,  é necessária que se transforme em LDL oxidado para penetrar na parede dos vasos, que devem apresentar uma lesão prévia na suas paredes.

Estas lesões surgem principalmente por um processo inflamatório crônico assintomático produzido por radicais livres, dietas desbalanceadas, excesso de carboidratos refinados, entre outros fatores.

Isso posto fica mais fácil entender porque o colesterol não é o vilão.

Baixo Nível de Gordura é um Mito

Segundo alguns especialistas mundiais, a dieta com baixo nível de gordura é um mito no que diz respeito à proteção para o coração. De fato, colesterol é uma substância fundamental para a manutenção da vida e todas as estruturas celulares do corpo necessitam imensamente dele.

Colesterol é Benéfico Para Todos

Após estudar por mais de 60 anos problemas de saúde que afetam o coração, o professor Fred Kummerow da Universidade de Illinois, com 98 anos de idade, afirma que o colesterol é benéfico para todos nos e não causa doenças cardíacas, conforme muitos defendem.

O que prejudica é apenas o colesterol oxidado através de frituras e alimentos processados, tipicamente encontrados nas “fast foods”.

Este tipo deve ser fortemente evitado, pois contem altas concentrações de colesterol oxidado chamados de oxisterois.

Oxidação do Colesterol

Uma forma de detectar se o colesterol medido no sangue possui alta quantidade de oxidação e, por isto nocivo, é a dosagem da Apo Lipoproteína B que mede a fração oxidada da fração LDL.

Podemos ver que a pesquisa é mais minuciosa do que, simplesmente, se receitar remédios para colesterol acima dos valores de referência e, consequentemente, amedrontando os pacientes quanto a este problema.

Caso a Apo Lipoproteína B esteja dentro dos limites normais, a necessidade de se tomar medicamentos para baixar o colesterol passa a ser desnecessária principalmente se a fração HDL (chamada de “bom” colesterol) estiver elevada.

Além da Dosagem do Colesterol

Os médicos deveriam se acostumar a solicitar a dosagem da Apo Lipoproteína B, Homocisteína, Proteína C Reativa, Fibrinogênio de forma rotineira, da mesma forma que passaram a se preocupar com as frações HDL e LDL nos anos 60 quando apenas o colesterol total era avaliado.

A maneira mais eficiente de cuidar dos excessos de colesterol no sangue e, principalmente da fração oxidada, é o que diz respeito às mudanças no estilo de vida.

Além de se preocupar com a alimentação, atividade física regular e manutenção do peso corporal são também medidas importantes para a manutenção da SAÚDE.

Fonte: Dr Fred Kummerow

**Apenas a especialidade de Homeopatia é atendida através da Unimed, nas demais áreas, os atendimentos são apenas particulares.

Tratamento Ortomolecular, Saiba como Otimizar sua Saúde

Tratamento Ortomolecular, Saiba como Otimizar sua Saúde

O tratamento ortomolecular tem como objetivos otimizar a saúde, prevenir e tratar várias patologias, proporcionando um envelhecimento saudável e uma melhor qualidade de vida.

Em nossa cultura, só se vai ao médico quando se adoece. De forma geral as pessoas não sabem que podem ser tratadas para otimizar o funcionamento do seu organismo e curas e evitar o surgimento de várias doenças.

Causas de Adoecimento

Com o avanço da ciência, hoje já conseguimos identificar muitos fatores que produzem doenças e envelhecimento precoce do nosso corpo.

Estes são alguns deles: alimentação inadequada, stress, produção excessiva de radicais livres, danos frequentes ao DNA, inflamação crônica subclínica, glicação, redução do metabolismo, sedentarismo, redução da imunidade, radiações eletromagnéticas, desintoxicação deficiente, produção e função inadequada de neurotransmissores e hormônios, entre outros.

Felizmente quase todos estes fatores podem ser corrigidos, com algumas mudanças no modo de vida e algumas ações terapêuticas.

Mas é importante entender que é um processo que deve ser seguido por alguns meses, e não apenas uma breve orientação médica.

Papel da Alimentação no

Tratamento Ortomolecular

A alimentação inadequada é um dos fatores mais importantes, pois a ingestão constante de alimentos nocivos ao nosso organismo provoca um processo inflamatório ao nível da mucosa intestinal, seguido de uma alteração da permeabilidade da parede intestinal, que por sua vez altera a absorção dos nutrientes.

Soma-se a isto a presença em larga escala de agrotóxicos nos alimentos, metais pesados e parasitas intestinais, agravando este estado.

Para corrigir este quadro, temos de ir além da correção alimentar, temos que primeiramente eliminar os metais pesados, agrotóxicos, pesticidas e parasitas intestinais.

Feito isto, e com uma alimentação adequada, nosso corpo ira aproveitar melhor os nutrientes da própria alimentação. Não existe uma alimentação padrão boa para todo mundo.

Podemos escolher nossos alimentos de acordo com o tipo sanguíneo ou de acordo com a biotipologia, ou outros métodos que levem em consideração a individualidade.

Microbiota Intestinal

Em nosso corpo temos bilhões de micro-organismos, que nos são muito úteis, e vivem em harmonia conosco, ajudando na digestão e produção de vitaminas.

Mas também temos vários parasitas, que devem ser eliminados, pois roubam nossos nutrientes e lesam nossa saúde. Entre eles esta a Candida albicans, responsável além da candidíase, por inúmeros outros sintomas.

Produtos Industrializados

Com o uso excessivo de produtos industrializados, medicamentos químicos, ar e água poluídos, o nosso corpo tem dificuldades para se desintoxicar. O órgão que mais sofre é o fígado, o “filtro” do nosso sangue, mas os rins e os intestinos, e a pele também sofrem com as toxinas

Este fato nos mostra a importância de fazermos um processo de desintoxicação dos vários sistemas orgânicos. Sabe-se hoje que a intoxicação por alumínio pode provocar Alzheimer e Parkinson.

Inflamação Crônica Silenciosa e o

Tratamento Ortomolecular

A inflamação em si, é um mecanismo de reparo extremamente útil para nossa recuperação das agressões que sofremos, mas ela deve ser sempre de curta duração.

Quando nosso corpo está cronicamente intoxicado, algumas substâncias (toxinas) e mesmo alguns alimentos, desencadeiam um processo inflamatório crônico, sem muitas manifestações clínicas no seu início.

Mas as pesquisas mais recentes mostram que esta inflamação crônica esta na base de inúmeras doenças crônicas entre as principais são as doenças coronarianas, que não são só devidas ao colesterol, fumo e obesidade.

Sedentarismo e Excesso de Carboidratos

O modo de vida sedentário e o consumo de alimentos industrializados em excesso têm causado aumento da obesidade e dos casos de diabetes tipo 2. O principal mecanismo envolvido nestas alterações chama-se glicação.

A glicação ocorre porque existe muito açúcar no sangue, que “carameliza” as membranas das células, impedindo seus receptores funcionem corretamente.

Com o açúcar (glicose) fora das células, as pessoas ficam cansadas sem e energia, e sempre querendo comer mais carboidratos.

Forma-se um círculo vicioso, cujo resultado mais visível é a obesidade, que já é considerada uma epidemia mundial. O uso de carboidratos complexos (integrais) em conjunto com alguns medicamentos pode corrigir este quadro.

Metabolismo Basal

Outro aspecto importante é a redução do metabolismo basal. Cerca de 70 a 75% das nossas calorias são gastas por nosso metabolismo basal (MB). Nosso MB depende muito do nosso tecido muscular, que gasta energia mesmo em repouso, daí a importância de termos uma atividade física regular e adequada.

Hipotireoidismo

A tireoide é quem controla nosso metabolismo, e muitas vezes seu funcionamento mais lento por não ser detectado pelos exames, e acaba ficando sem tratamento.

Os principais sintomas de hipofunção da tireoide são: ganho de peso, constipação, irregularidades menstruais, pele e cabelos secos, unhas fracas, cansaço constante, entre outros.

Dietas Hipocalóricas e o

Tratamento Ortomolecular

Hoje sabemos que as dietas de poucas calorias tendem ao fracasso, pois quanto mais se reduz a quantidade de alimentos, mais o corpo reduz o metabolismo, isto é, comer menos faz o corpo gastar queimar menos calorias.

Atividade Física e Emagrecimento

Para aumentar o metabolismo além da atividade física, existem certos alimentos e medicamentos que podem ajudar.

Mas quem quer emagrecer deve entender que não pode ser emagrecida pelo médico, é essencial compreender que o excesso de peso decorre de uma série de desequilíbrios e que não existe e não existirá um remédio único que equilibre todos os fatores envolvidos na obesidade.

ortomolecular

O emagrecimento deve ser resultado do equilíbrio geral do organismo, e não um objetivo a ser alcançado a qualquer preço. Se você não concorda com estas colocações, por favor, esqueça este tratamento, ele não é para você.

Na realidade o grande “queimador” de calorias que temos chama-se mitocôndria, que são estruturas que existem dentro das células e transformam a glicose em energia, é um tipo de micro usina de energia.

Esta geração de energia depende do oxigênio, e um dos seus subprodutos são os radicais livres (RL), que ganharam notoriedade nos últimos tempos.

Radicais Livres e

Tratamento Ortomolecular

Os RL são apontados hoje como um dos maiores responsáveis pelo envelhecimento, pois lesam as membranas celulares e o nosso material genético (DNA).

Para tentar solucionar esta condição, surgiu a Terapia Antioxidante. O uso de vitaminas, minerais, aminoácidos e fitonutrientes, ajudam a reduzir muito as alterações produzidas pelos RL.

Além das mitocôndrias, outros grandes geradores de RL são: o stress, o fumo, exposição solar excessiva, exercícios físicos intensos entre muitos outros. Um assunto ainda pouco considerado pela medicina convencional são as radiações eletromagnéticas.

Poluição Eletromagnética

O desenvolvimento tecnológico nos faz conviver com vários aparelhos eletrodomésticos e eletroeletrônicos, que emitem constantemente radiações ionizantes, que provocam muitas alterações em nosso corpo energético.

Infelizmente ainda temos poucos meios para nos livrarmos destes efeitos nocivos.

Exames e Tratamento Ortomolecular

Para fazer um diagnóstico do que precisa ser corrigido, a Terapia Antioxidante usa os exames laboratoriais rotineiros e também um bem específico que é o mineralograma, que pode ser feito através do cabelo ou do sangue.

O tratamento, dependendo de cada caso pode ser feito com Fitoterapia (ervas), Vitaminas, Sais Minerais, Fito nutrientes, Oligoelementos, Homeopatia entre outras; além de propor mudanças nos hábitos alimentares e no estilo de vida.

**Apenas a especialidade de Homeopatia é atendida através da Unimed, nas demais áreas, os atendimentos são apenas particulares.

Vitamina C sua Deficiência pode Provocar Infarto do Miocárdio

Vitamina C sua Deficiência pode Provocar Infarto do Miocárdio

vitamina C infarto

A deficiência de vitamina C está correlacionada ao infarto do miocárdio. A ação antioxidante da vitamina C protege a LDL da oxidação, impedindo que ela produza lesão do endotélio, e a consequente formação da placa ateromatosa.

Porém a dose de vitamina C deve adequada, pois quando ela está em excesso, ele deixa de ser antioxidante, e passa a ser oxidante.

O Endotélio é o Maior “Órgão” do Nosso Corpo

Você sabia que o comprimento total dos vasos sanguíneos que compõem nosso aparelho circulatório é de cerca de 100.000 quilômetros?

O coração, principal órgão do aparelho circulatório bombeia sangue 100.000 vezes por dia e isso faz com que seja o maior “trabalhador” do nosso corpo. Por este motivo, a saúde cardiovascular resulta em benefício para todo nosso estado geral.

A debilidade dos vasos sanguíneos e a deterioração das paredes arteriais são as principais causas das enfermidades cardiovasculares.

Existem estudos recentes que concluíram que a vitamina C fortalece as paredes dos vasos sanguíneos e, infelizmente, com os hábitos de vida mais modernos, as pessoas tem se apresentado cada vez mais carentes dessa vitamina e, consequentemente, permitindo que lesões arteriais passem a ser mais frequentes.

Os Animais Produzem Sua Própria Vitamina C

Um dado que a maioria das pessoas desconhece é que os animais não costumam sofrer infarto do miocárdio e a explicação é que eles produzem vitamina C nos seus fígados ao contrário dos seres humanos que, para manterem níveis satisfatórios dessa vitamina, necessitam ingeri-la regularmente.

Conclusões

As principais conclusões dos estudos a respeito deste tema são de que produzimos placas que provocam entupimentos nas artérias simplesmente porque não conseguimos produzir a protetora vitamina C além de termos a tendência atual de consumirmos dieta alimentar pobre em nutrientes de forma geral.

**Apenas a especialidade de Homeopatia é atendida através da Unimed, nas demais áreas, os atendimentos são apenas particulares.